<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2006-05-31


Homo ludens e parlamentação. A adequação da agenda de trabalhos da Assembleia da República ao calendário da fase final do campeonato do mundo de futebol é mais do que compreensível. Prioridades são prioridades. Ilusões são ilusões. Nicky Florentino.

Referência



Volta presidencial. O senhor presidente da República insiste que a sua ciranda pelas desgraças do país é para suscitar um compromisso, não um pacto. Para suscitar arroz de pato é que devia ser. Nicky Florentino.

Referência



Camarote volante com visão sobre os infortúnios. Em Portugal o rol das expressões estúpidas é mais do que extenso. E nenhuma dessas expressões é mais estúpida do que «visitar o país real». Porque visitar o país real é eufemismo de excursão à paisagem da miséria. Não obstante, por um equívoco qualquer, por momentos acontece que a semântica é colonizada por um juízo discernido, segundo o qual, por cá, a paisagem da miséria é real. O que significa que, em rigor, a paisagem da excelência e da abastança é o país irreal, uma miragem. Nicky Florentino.

Referência



Escala de Sisífo, ii. O senhor chama-se Калашников. O fuzil automático também. Segismundo.

Referência



Escolha desnecessária, ii. Mondigliani?, realizado por Mick Davis, ou Klimt?, realizado por Raoul Ruiz. Segismundo.

Referência



Escolha desnecessária, i. The New World?, realizado por Terrence Malick, ou Mary?, realizado por Abel Ferrara. Segismundo.

Referência



Titã, lua baça, sob anéis de madeira. © NASA. Segismundo.

Referência

2006-05-30


A falta que os ovos fazem para fazer uma omoleta. O senhor presidente da República anda a palmilhar um roteiro das desgraças pátrias e a tentar a proposição de mão-de-obra para tecer um padrão gregário com fio de Estado e fio de sociedade civil, onde quase não há Estado, quase não há sociedade civil e não há fio. A manobra é quixotesca, destinada a falhar, mas tem que ser. Porque algo, mesmo que nada, tem que ser feito. Nicky Florentino.

Referência



Reparação. Ao invés do que sugere a Helena, é sem cê. Segismundo.

Referência



Escala de Walden, i. Em relação a deus há um único tempo adequado, o pretérito perfeito. Ou seja, embora nunca tenha sido, se o sujeito é deus, o predicado aconselhado à sua identidade é foi. Não é exacto, reconheça-se, apenas engana menos. Segismundo.

Referência



Os feitos e os defeitos de Lazy González, vii. Para que a coisa se consume é necessário verificarem-se duas condições, a intumescência e a fricção. A masturbação, ainda que também pela intumescência e pela fricção, é apenas uma espécie de porta ao lado. Quando por aí se passa chega-se inevitavelmente à sensação que não era para aí ou por aí que se desejava ir. Mas, enfim, antes passar por essa porta do que ficar na rua, sustentam alguns, os desgraçados, disse, tudo isto, lazy gonzález. Depois, enquanto a fitava nos olhos e caminhava em sua direcção, acrescentou eu não sou de passar por porta que não desejo. E nisso não tenho por hábito enganar-me ou fazer diferente. Quando por instante venceu o temor e se dispôs a fugir, tentando evitar aquele fado, ela já havia sido alcançada e submetida e as suas parcas vestes haviam sido rasgadas clamorosamente. O Marquês.

Referência

2006-05-29


A mesma ausência sempre presente. Com motivo mais ou menos pungente, ocasionalmente alguém pergunta onde estava deus? quando... A pergunta ou é mera retórica ou é estúpida. Porque, naquela circunstância como em qualquer outra - é assim todos os santíssimos dias, a todas as santíssimas horas -, deus estava onde sempre esteve e como sempre esteve, invisível, calado, quieto, como, porque não estava, não estivesse. Segismundo.

Referência



Escala de Agave, iv. A solidão faz-me leopardo, disse ele, mas, acrescentou imediatamente depois, não de Kafka. Segismundo.

Referência

2006-05-26


Abram alas! Um senhor deputado socialista eleito em lista do PS clamava hoje, no hemiciclo, próximo do final de um debate parlamentar com o senhor primeiro-ministro, ó senhores deputados!, é preciso deixar funcionar o mercado. Sobre a necessidade de deixar funcionar o trambelho nada disse o fulano. Vá lá saber-se porquê. Nicky Florentino.

Referência



Dia da infâmia e do nojo. Hoje a besta urbicida largada na cidade pequena confirmou a alvenaria do coração de quem manda. E de quem manda não é qualquer estrela, mas uma vaga no céu, reserva especial para os que são paupérrimos de espírito. Segismundo.

Referência



Urgência e reencontro. Lá fora a velocidade era obscena. Lá dentro soava ó miss psicanálise que perfeita que és e tão pequenina *.

* parte da letra do tema “Freud & Ana”, incluído no álbum Os Homens Não se Querem Bonitos, EMI - Valentim de Carvalho, 1985, dos GNR.

Referência



Semear inveja. Com apelido Carrilho, encontra-se gente boa gente no Sítio da Catraia. Poucos sabem deste facto. E ainda bem. Porque os bolos bons que por lá se fazem não chegam assim para tantos. Segismundo.

Referência



Página do livro das interrogações, xv. Como é que se encontra a solidão?, se ela é tanto «comigo» quanto «connosco». Segismundo.

Referência

2006-05-25


Preenchimentos. A adesão assanhada a um ismo é decorrência de um défice de imo. Nicky Florentino.

Referência



Página do livro do googlemas. Wtf, o que significa dizer que antonio é titular do domicilio de um bem. Segismundo.

Referência



Bouquet silvestre. Hoje, fim da tarde, crepúsculo, na pequena rua que dá acesso à escola dele, um homem, na face do qual lavravam lágrimas, colhia criteriosamente papoilas e malmequeres amarelos entre as ervas. Segismundo.

Referência



Na paisagem. Embora se saiba que o fim do mundo é «o fim do mundo», a província não se sabe bem o que é. Claro que, enquanto expressão de capitalidade ou cinismo urbano, «província» é um conceito estúpido. Lisboa é Portugal e, portanto, a portugalidade também se sente aí. Mas é claro também que há diferenças entre Lisboa e o resto dos lugares do país. Diferenças de escala, mas não só. Como é óbvio, tudo isto é suportado por evidência empírica e pode ser convenientemente incrustado nos roteiros cognitivo e moral de qualquer criatura. O problema é que, às vezes, esta ordem é desafiada por factos, com consequências significativas ao nível da tranquilidade ontológica associada a tais roteiros. E o problema é maior porque tais factos não são factos monumentais ou vitais, mas factos anódinos, menores. Tipo a incapacidade de começar a projecção de um filme à hora estabelecida e tipo, na circunstância, durante a exibição da película, ser e estar cercado por uma fauna clamorosa. O que significa que, quando estamos mal habituado, a província faz-nos acontecer vítimas e, por conseguinte, o conceito «província» é adequado a reportar o que é causa dessa vitimização. Segismundo.

Referência



Página do livro das sentenças, xxxiiix. A memória é condição da espera. Segismundo.

Referência

2006-05-24


Política e minima moralia. Segundo Ulrich Beck - que não é lá grande farol analítico -, no contexto da modernidade tardia, a política é um exercício de gestão de riscos. Ou seja, a política é uma tentativa de controlo e de contenção dos efeitos dos males segregados e produzidos pelas composições sociais hodiernas. O que faz com que a democracia seja um programa mínimo, cautelar, e um dispositivo orientado para correr atrás dos prejuízos. É por isso que, ninguém se espante, o futuro é o fim e vice-versa. Em Portugal mais ainda, obviamente. Nicky Florentino.

Referência



Página do livro das latitudes, x. Esquecendo, a eternidade que demora parece um instante. Segismundo.

Referência



Cenas da cidade pequena. Bebeu um café. Fumou um cigarro. Começou a roer as unhas. Falou ao telemóvel, enquanto continuou a roer as unhas. Fumou outro cigarro, enquanto escreveu e enviou uma messagem. Anotou algo na agenda. Começou a roer as unhas da outra mão, enquanto esperava. Escondeu as mãos quando ele entrou, encontrando-as entre as pernas. Agitou-se. Sorriu-lhe. Ele sentou-se e evitou-a. Ela colocou as mãos sobre a face. Chorou escondida. Ele saiu. Ela permaneceu, mas com as mãos sobre a face, como se estivesse a fugir dali. Segismundo.

Referência

2006-05-23


Cinco casos vistos ontem no écran. Caso i. O senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho não gemeu. Insistiu no que escreveu em Sob o Signo da Verdade e, portanto, através do corpo e da voz redundou em si. Para além disso, fatal, não se viu a senhora sua esposa, provavelmente porque o canal teelvisivo que transmitia aquela espécie de debate era um canal da concorrência. Em suma, o senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho consumou-se. Caso ii. Do senhor jornalista Emídio Rangel recorde-se o edificante episódio do berbequim. Desde aí não há como conseguir vislumbrar o fulano em pose ou discurso virginal, contra a matilha que ele diz e que, caso haja amnésia convém recordar, outrora nutriu até à saciedade, facto que lhe valeu tanto o lustre quanto a púrpura. Venceu então, mas não é possível eternizar uma vitória. Ao lado do insigne senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho encarnou a condição de derrotado que lhe competia, ao mesmo tempo que fazia transparecer o desejo de desforra, como quem trauteia ó tempo volta para trás. Porém, da desgraça não se desapega. Dizem que é moda do momento, veio nos jornais e tudo, meninas estreadas submeterem-se a uma intervenção que as devolve ao estatuto de primícias. O caso é que, em última instância, saber isso implica meter lá o dedo. E, portanto, o senhor jornalista Emídio Rangel até pode ser isso, mas para atestar seria necessário enfiar lá, no sítio, o dígito para verificar se sim ou se não. Como isso seria manobra que obriga ao emprego de nojo, ninguém está para isso. Pelo que terá a criatura de subsistir com a fama de antigamente, a sua. Ou seja, enquanto virgem na missão jornalística o fulano não convence. Caso iii. O senhor jornalista Ricardo Costa também não parece ser flor que mereça ser cheirada. Ontem, na televisão, jogou-se sobretudo como homem, não tanto como jornalista. Como homem bateu-se com o senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho e com o senhor jornalista Emídio Rangel. Como jornalista mostrou o que alguns jornalistas são, homens como os outros, o senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho ou o senhor jornalista Emídio Rangel, etc. e tal. Por conseguinte, quem não quiser ser enganado, é preferível que não o compre por virgem, mesmo que ele seja. Caso iv. O José é caso aparte. Notou-se que queria ser diferente. Tentou, esforçou-se. O problema é que lá dentro é lá dentro. E na jaula o José também não se saiu bem. Porque, do que parece, é de si ser solto e para além da caixa apertada em que se meteu. Neste pormenor, ninguém o mandou enfiar-se naquela arena de conversas. Se queria ser diferente, que ficasse de fora. Caso v. Embora da casa, tipo dominatrix do show, a senhora jornalista Fátima Campos Ferreira comportou-se como habitualmente, ao nível de patroa de taberna rústica. Isto não pretende ser ofensa, é apenas um exercício de caracterização por via de recurso a analogia. Para compreender este caso inefável, só mesmo vendo. Nicky Florentino.

Referência



Olé! O Dragão dissertou sobre a incompreensão do João. Segismundo.

Referência



Entretanto. O João LHOOQ passou pela casa velha. Segismundo.

Referência



Dos lugares que já não são. O que era comum é agora lugar morto. Segismundo.

Referência



Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xlii. Os Homens Não se Querem Bonitos. Segismundo.

Referência



A sensação stranger in a strange land nas Penhas da Saúde. E ao terceiro dia deixaram de estranhar que eles dispensassem quase tudo, também o pão, e apenas quisessem o requeijão e o doce de abóbora com noz. Eles comem aquilo como sobremesa, comentaram entre si, como se apontassem e desvendassem alienígenas. Segismundo.

Referência



Os feitos e os defeitos de Lazy González, vi. Antes de ter começado a rir e, portanto, ainda antes de ter começado a gemer e a carpir por ser aguilhoada violentamente na sua carne, Lazy González avisou-a, dizendo-lhe o teu riso faz-se concupiscência em mim, levanta-me a marca de ser homem e a necessidade de, levantada, a consolar brutamente na guarda à base da tua cintura. O Marquês.

Referência

2006-05-22


A (des)contracção. Consta que o senhor dr. Marques Mendes teve uma ideia, “um programa especial de rescisões amigáveis na função pública”, e ousou a sua apresentação pública. Para financiar as indemnizações decorrentes de tais rescisões o fulano aventou a hipótese de recorrer a fundos comunitários. Argumenta ele que tais indemnizações são mais um investimento do que uma despesa e que, portanto... Deve deixar-se fluir a estupidez sem freio. Nicky Florentino.

Referência



Cada cabeça sua sentença. Segundo o senhor secretário-geral do PCP, o senhor primeiro-ministro anda metido com “o projecto neoliberal do Estado mínimo”. Segundo o senhor presidente do PSD o caso é outro, “a ideia do Governo é salve-se o Estado gigantesco e despesista que temos”. Como costuma dizer-se, sabe-se lá. Nicky Florentino.

Referência



Essa mecânica insondável que tem a porca. Ocasionalmente a realidade política, porque não corresponde ao que se imagina, obriga a sobressalto. Quando o senhor dr. Durão Barroso transumou do pasto de senhor primeiro-ministro para o pasto de senhor presidente da Comissão Europeia, defecando de alto para a pátria, e foi substituído na primeira dessas honras pelo senhor dr. Santana Lopes muitos gentios ficaram incrédulos por terem percebido que, quando votam em eleições legislativas, afinal, não elegem o maioral do governo. Agora voltaram as confusões. Aquando essas mesmas eleições, os gentios votam em listas fechadas submetidas a sufrágio por partidos políticos ou coligações eleitorais, mas parece que, afinal, elegem deputados que. Qualquer coisa, não se sabe bem o quê. Nicky Florentino.

Referência



Escala de Agave, iii. Os espelhos são leopardos em modo de espera, furtivos. Segismundo.

Referência



Os feitos e os defeitos de Lazy González, v. Percebendo quem havia feito batota no jogo, Lazy González levantou-se, dirigiu-se ao poeta boémio, segredou-lhe o que releva é o inverso, não é o verso e devorou-lhe a orelha sobre a qual acabara de murmurar. O Marquês.

Referência

2006-05-21


Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xli. The Postman Always Rings Twice. Segismundo.

Referência

2006-05-20


Ó louvado seja o santíssimo sacramento porque é tanta a filosofia política destilada pelo juízo do senhor dr. Marques Mendes. Segundo a edição de hoje do Expresso, disse o senhor presidente do PSD, na abertura do conclave da tribo, “temos de construir a social-democracia do século XXI, liberal na economia, ousada no domínio social, aberta a novos valores e soluções, capaz de responder aos antigos e novos desafios da sociedade”. Ou seja, a social-democracia do século XXI será o que deus quiser, entre a salada russa ideológica e o albergue espanhol doutrinário. Vale tudo, assim, mais ou menos. Nicky Florentino.

Referência



Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xl. Un Chien Andalou. Segismundo.

Referência

2006-05-19


Princípio de diferenciação. Em política, fraqueza não é franqueza e vice-versa. Nicky Florentino.

Referência



A di-visão. Que cesse tudo quanto é pós-diluviano! Que se deixe de comer mil-folhas! Que se esqueça a ternura! O senhor Prof. Doutor Prado Coelho, disse, não vê, de ver, blogues. Isso, sim, é um problema cósmico. Mais grave, se for, apenas a extinção do lince da Malcata. Segismundo.

Referência



O Campo Pequeno e os pequeninos que querem parecer grandes a espetar carne bovina sem ser no churrasco ou no prato. Segismundo.

Referência



Os feitos e os defeitos de Lazy González, iv. Mais do que diverso, Lazy González era preverso. O Marquês.

Referência

2006-05-18


A verdade-polaroid. Perante a saraivada de porrada acontecida em São Paulo - e independentemente das loas ternurentas que lhe empreste o camaradamigo senhor Prof. Doutor Eduardo Prado Coelho -, é impossível não compreender e não respeitar, coitado, o pragmatismo do senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho. Nicky Florentino.

Referência



A transfiguração da política. Em termos de política pura, a fraqueza é pequenez, é miséria. Mas a política, crescentemente novelizada, é cada vez menos pura. Daí que algumas criaturas se consigam capacitar politicamente por via da vitimização e da auto-vitimização. Pois o que as insufla não é a respectiva força, a capacidade de persuasão pelo argumento, mas a sua presença num plateau público e a visibilidade piedade daí decorrente. Nicky Florentino.

Referência



Ai! os bons que se vão. Foi anunciado o propósito de a trupe socialista na Assembleia da República patrocinar uma revisão das regras que regulam a suspensão do mandato parlamentar. De imediato surgiram vozes a associar essa mudança à hipótese da desqualificação do pessoal em deputação. Entre outros argumentos, invoca-se que uma legislação restritiva tenderá a afastar os bons e que é bom que sejam tolerados alguns cúmulos profissionais com a deputação, porque isso garante uma ligação ao mundo. Assim postas as coisas, justificam-se algumas objecções. Primeiro, os bons - se bons forem - afastam-se do parlamento por mil e um motivos. Sequer lá fazem falta, se lá estarem não corresponde à sua vontade e ao facto de terem sido eleitos. Segundo, o problema da ligação ao mundo é não é dispiciendo, mas o mundo são também interesses. Por isso, sabe-se lá que raio de interesses é que, por via dessa ligação ao mundo, são camufladamente expressos no parlamento? Daí que senhoras deputadas e senhores deputados exclusivamente a deputar não seja necessariamente um mau cenário. O que não é bom augúrio é saber-se quem são, o que dizem e o que fazem as senhoras deputadas e os senhores deputados. Mas quanto a isso nada há a fazer. Porque, se é tragédia, é para ser trágico. Nicky Florentino.

Referência



Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xxxix. Cat on a Hot Tin Roof. Segismundo.

Referência



Lugar comum. Lidamos mais facilmente com o espaço do que com a sua ausência, o vazio ou o nada. Segismundo.

Referência



Sequência demiúrgica. Antes a natureza, depois, só depois, os deuses. Segismundo.

Referência

2006-05-17


O Estado, uma lady na mesa e uma louca na cama. O Estado é uma besta e confirma recorrentemente a sua bestialidade. Na mesma data em que a trupe socialista anunciou ter a intenção de verter em lei a remissão dos representantes da igreja católica para a condição de convidados nas cerimónias de pompa e circunstância reguladas pelo protocolo de Estado, a mesmíssima trupe parece inclinada a considerar que apenas as mulheres casadas ou em união de facto poderão ser beneficiárias de apoio público no que concerne à procriação medicamente assistida, porque é necessário provar que, durante dois anos, apesar de trucatruca insistente, a espasmos e descargas de sémen, não ocorreu a pretendida fecundação. Ou seja, o Estado está disponível para auxiliar não apenas as mulheres a serem mães, mas também os homens a serem pais e os filhos a serem, desde a concepção, vítimas convenientemente arrumadinhas num concerto institucional julgado perfeito, tipo alcofa social que não há a não ser em raciocínios geometro-higienistas. Nicky Florentino.

Referência



Escala de Sísifo, i. O rumo parecia certo e sem desvio possível. Havia um único caminho, que, como uma linha, se alongava até ao horizonte, parecendo prolongar-se ainda para além daí. Aquele, portanto, seria o caminho. Ao caminhar-se, o que não se percebia é que aquela linha se inclinava numa curvatura pouco pronunciada e que, na sua plenitude, configurava uma circunferência. Segismundo.

Referência



Regime pessoal. Não há traição maior do que a traição de alguém a si-mesmo. Segismundo.

Referência



Face a face. Provavelmente não é justo. Todos deveriam poder fingir e mentir sem que os outros notassem. Mas o engano impregna-se com demasiada facilidade nos gestos e nos modos, tornando-se notável e notório. E os outros fingem não notar apenas para, por piedade ou por cinismo, pactuarem com a hipocrisia que desfila diante dos seus olhos. Segismundo.

Referência

2006-05-16


A modorra dos dias comuns. O governo da pátria, embora suportado por uma maioria absoluta no parlamento, é um governo de gestão. A oposição, embora o governo seja um governo de gestão, não se opõe ou opõe-se pouco. O senhor presidente da República, embora tudo isto, parece andar por aí. E o senhor mister Scolari não selecciona. O que significa que estamos em meados de Maio e a silly season, pelo estado de graça que exala, é já a estação do momento. Nicky Florentino.

Referência



Casos que obrigam a voz. Paulatinamente confessa-se o silêncio pelo silêncio. Nada há a dizer, nada há a declarar sobre o senhor dr. João Bernard da Costa. Mas, depois, há Peter Handke, ainda há Peter Handke. Segismundo.

Referência



Escala de Agave, ii. Os lobos são justos no sangue que derramam, porque, antes, lutam por ele. Segismundo.

Referência



Encerramento. Apertam o caminho. Primeiro dizem que não há alternativa, que é a única via. Depois dizem que não há saída. Segismundo.

Referência

2006-05-15


Em quatro linhas. Do futebol interessa o sangue, a dança, o suor, o jogo, a jogada, o erro. Tudo o que está para além disto não é motivo suficiente de tragédia. É apenas novela ou balneário. Nicky Florentino.

Referência



Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xxxviii. Pantagruel. Les horribles et espouvantables faictz & prouesses du tresrenommé Pantagruel Roy des Dipsodes, filz du grand geant Gargantua, Composez nouvellement par maistre Alcofrybas Nasier. Segismundo.

Referência



Cego às vezes. A revisitação da cegueira é preocupante apenas quando se anda com os olhos abertos. Segismundo.

Referência

2006-05-14


Da nação. A nossa única selecção veste listado azul e branco. Nicky Florentino.

Referência



Vigésima quinta hora. Já não há barman que seja assim. Segismundo.

Referência

2006-05-13


Maria que não vais nos olhos ou nos ouvidos de todos. Outrora havia uma hierarquia das faculdades necessárias à fé. Quem, à sombra de uma azinheira, se emprestava à missão cabreira ou um) via e ouvia, ou dois) via e não ouvia, ou três) não via e não ouvia coisas, mas acreditava em tais coisas. Para além disso, morria-se mais cedo ou mais tarde consoante o pack de vertigens possuído e consoante as consequências da metanóia suscitada por tais vertigens sobre o corpo. Segismundo.

Referência

2006-05-12


Visões. Uma jornalista do Público viu o senhor Prof. Doutor Carmona Rodrigues a aplaudir o senhor Prof. Doutor Manuel Maria Carrilho quando este o acusou de qualquer coisa, durante o lançamento do seu memorial sobre a campanha eleitoral para a Câmara Municipal de Lisboa. E isso, sem por um instante suspeitar do que viu, escreveu a jornalista. O raio do senão é que o senhor Prof. Doutor Carmona Rodrigues não era o senhor Prof. Doutor Carmona Rodrigues, mas era o senhor Prof. Doutor Augusto Santos Silva. Ver não é uma operação fácil. Reconhecer também não. Nicky Florentino.

Referência



Casting. O senhor dr. Jorge Sampaio está tanto para enviado especial da OrganizaçãodasNaçõesUnidas para a erradicação da mycobacterium tuberculosis quanto o Lothar, o amigo do Mandrake, está para domador de marsupilamis. Mas está bem. Nicky Florentino.

Referência



Eyes wide shut. O regime opticocêntrico é de tal modo sugestivo que, de ordinário, o que se expecta de um louco é que veja o que os outros não vêem, não que oiça o que os outros não ouvem. Segismundo.

Referência



Salve Rainha. Greta enquanto Mata. Segismundo.

Referência



Escala de fénix, i. Os anjos são aves enganadas na espécie. Segismundo.

Referência

2006-05-11


Verdade ou consequência. Escolhe, homo homini deus? ou homo homini lupus? Segismundo.

Referência



Marcha fúnebre. Na solidão da cápsula, escorria um gemido lutuoso tecido pelos ecos de Live on SNAP with Deirdre O’Doneghue. Segismundo.

Referência



Vertigem de pêndulo. Quando largado na Áum, ele é um dromocrata e clama morte aos lentos! por outras palavras. Segismundo.

Referência

2006-05-10


Olhe, então era uma central nuclear aqui para o canto, se faz favor. O projecto de uma nova refinaria para Sines proposto pelo senhor empresário Patrick Monteiro de Barros é tão grande, tão grande que, parece, não cabe na realidade. Nicky Florentino.

Referência



Agenda. Dezasseis de Agosto, Paredes de Coura, praia fluvial do Tabuão, Yeah Yeah Yeahs. E siga e siga e siga e siga, quatro vezes, a puta da sarabanda. Segismundo.

Referência



Página do livro dos excursos, x. Porque as ilusões são confortáveis, é um conforto a sensação segundo a qual o infinito começa depois de nós, ainda que, na verdade, sejamos apenas um ponto desse abismo que passa por nós e do qual somos tanto passageiros quanto hospedeiros. Segismundo.

Referência



Ícaros cadentes. De Dante reserve-se o rumo e o modo, a comédia. Porque, se ele foi conduzido por Virgílio e assim soube os nove círculos, a nós, tão mortais quão ordinários, basta-nos a queda, a panorâmica superior do chão. Segismundo.

Referência



Os feitos e os defeitos de Lazy González, iii. Se eu pudesse, matava-os. Posso e, no entanto, não os mato. Permito que vivam para que me seja possível continuar a sentir que posso, o poder, o meu poder. É essa, sofrerem sob o arbítrio e o ritmo da minha vontade, a sua utilidade enquanto vivos, disse Lazy González, antes de jogar sobre a mesa a sua mão, um fullen de ases e damas. O Marquês.

Referência

2006-05-09


Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xxxiii. Der Mann ohne Eigenschaften. Segismundo.

Referência



Quando longa se torna a espera. A esperança opõe-se ao desespero do mesmo modo que à esperança opõe-se o desespero. É esta a espera que já não espero, disse ele, antes de voltar, para repetir. Segismundo.

Referência



Página do livro das sentenças, xxxii. O pretérito imperfeito é um modo de resistência. Segismundo.

Referência

2006-05-08


Excitação. Cite-se, por inteiro, o José: “o congresso do CDS/PP revela que o príncipio do «dois em um», ou o de «uma lady na mesa, uma louca na cama», não funciona para os partidos políticos. Ou é só «um em um», como no PCP, ou são vinte em um, dez ladies na mesa e dez loucas na cama, como no PSD e no PS”. Lindo, lindo, lindo, tantas ladies e tantas loucas. Nicky Florentino.

Referência



Ai a falta que faz um asilo senatorial. A manchete da última edição do Expresso é uma estupidez. Nada que espante. Os títulos foram feitos para serem inventados. Mas, passando adiante, não foi o senhor dr. Jaime Gama que disse preferir emprestar-se à honra de senhor presidente da Assembleia da República porque estar senhor ministro dos Negócios Estrangeiros era muita viagem e, portanto, uma canseira? Nicky Florentino.

Referência



A verdade por tau! O Hélder assesta-lhes com elegância. Mas é provável que eles não se sintam. Nicky Florentino.

Referência



A casa de Moby Dick. Há mar e mar, mas, há três anos, aqui, nenhum como este. Segismundo.

Referência



Regra para um mundo melhor. Todos por um e cada um por si, à bruta. Segismundo.

Referência

2006-05-07


Via Saramago-Lino. Em termos nacionais, o horizonte não é a Ibéria, é a Libéria. Nicky Florentino.

Referência



Partido dos pequeninos. Um partido político pequeno é pequeno em todos os sentidos, excepto na pequenez. Nicky Florentino.

Referência



Lá fora, como cá dentro, é o mundoutro. As coordenadas são tantas que não é suficiente saber onde é o exterior. No exterior os caminhos são mais de mil, muitos para o mesmo destino, muitos outros para paragens diferentes. Olhar o mundo é olhar no mundo. Viver é deambular, ida e volta, às vezes desvio, perdição, desconhecer que chão pisam os pés. É a vida. Sabe-se onde se está, suspeita-se como se irá, não para onde, quando entre as urgências que o mundo sugere tentamos descortinar os passos. Neles há um ritmo e um sentido. E na mão leva-se L’Essence du Rire, de Baudelaire, para saber quem, se for, vai por aí. Segismundo.

Referência

2006-05-06


Entretanto. Lugar comum é quatro por junto. Segismundo.

Referência



José das regras. E o José anda aqui há três tempos largos. Segismundo.

Referência



Escala de Agave, i. Ele é querido - esta sentença, por evidência imposta, está para além de qualquer hipótese de disputa. Mas, nele, querido é particípio passado, não é adjectivo ou nome predicativo do sujeito. Segismundo.

Referência

2006-05-05


Everything but the girl. Segundo o Filipe, a senhora dr.ª Manuela Ferreira Leite “acumula o seu passivo enquanto ministra das Finanças com dois problemas fatais nos dias que correm: é «feia» e é «velha»”. As aspas são uma delícia. Mas o que releva não é isso. Convém ter presente que uma das consequências do frenesi da modernidade tardia foi a estetização dos parâmetros de referência social. Daí que em muitas circunstâncias a análise política tenda a resvalar facilmente para o registo femeeiro, com a tonalidade vanity fair em baço, típica das paróquias urbano-depressivas. Ou seja, em termos políticos, os tais «dois problemas fatais nos dias que correm» nem são problemas nem são fatais. São tão só contingências espectrais, pormenores. Mas são. Nicky Florentino.

Referência



Concurso de um concorrente só. Em política, quando se está na oposição, a vitória em qualquer justa sem concorrência no interior de um partido político, mais do que indício de união ou unanimidade, é sintoma de solidão ou abandono. Nicky Florentino.

Referência



Apelo à multiplicação da miséria. Dando uso à sua imaginação magnânime, o Governo decidiu estimular a produção de lusitos. Daí que os gentios pátrios tenham sido subitamente apossados por uma indómita vontade de emprestar o corpo à padreação. Até aqui, neste tugúrio, já se começaram a sentir os primeiros sintomas. É que não há melhor sugestação da concupiscência do que saber existir subsidiação à prole. Portanto, durante as próximas luas, nem abstinência nem masturbação nem contraceptivos nem teelvisão. O Governo paga à peça. Depois logo se vê. Nicky Florentino.

Referência



Agenda. Vinteedois de Julho, Lisboa, Lisboa Soundz, The Strokes + She Wants Revenge. Segismundo.

Referência



Parâmetros, ii. Como Walter Benjamin percebeu e celebrou o flâneur, Claude Lévi-Strauss percebeu e celebrou o bricoleur. O que num é proximidade distante, atitude blasé, no outro é toque, mãos. Segismundo.

Referência



Parâmetros, i. Para mudar o mundo às vezes é bastante mudar a perspectiva, isto é, a escala e a posição em relação ao mundo. Segismundo.

Referência



Solta a besta liberal que há em ti! Nem muesli e bifidus activo nem alfaias litúrgicas. O caso é outro. Chama-se BRISA - Auto-estradas de Portugal, SA. Andam em obras na Áum. Muito bem. Nenhuma novidade. Há várias gerações que é assim. O problema é que, por um serviço de auto-estrada onde há segmentos extensos com velocidade de trânsito condicionada abaixo de oitenta quilómetros por hora e onde se circula com segurança e comodidade inferiores ao que é devido - às vezes apenas com uma faixa de rodagem disponível -, paga-se o mesmo que se pagaria caso o piso não estivesse escarificado ou às ondas, os painéis laterais não fossem de cimento e estivessem justos ao limite da faixa de rodagem e a velocidade máxima de circulação fosse a normal. Para além do abuso, o que é que justifica esta situação abstrusa?, é o que ele quer saber. Por isso, começou por aqui. Segismundo.

Referência

2006-05-04


Onde é que está a bisca de paus? Uma das metáforas adequadas ao entendimento e à compreensão dos processos políticos é a metáfora do jogo. E é-o não tanto por dar cobertura analítica à dimensão lúdica implicada em tais processos, mas por reportar-se também às manobras de batota. Estas palavras do senhor dr. Pires de Lima vem a propósito, “nenhum congresso do CDS[/PP], como já se viu no passado, tem as cartas marcadas”. É porque provavelmente há jogo debaixo da mesa. Ou carta escondida na manga. Nicky Florentino.

Referência



Agenda. Seis de Maio, vinteetrês horas, Lisboa, Zé dos Bois, Baby Dee. Segismundo.

Referência



A rir se corrigem os costumes. Há uma certa necessidade de enfrentar a morte. Não para jogar xadrez com contra ela, como em Det Sjunde inseglet, realizado por Bergman. Apenas para reconhecer a desfiguração da face a que, quando encarada, ela obriga. Segismundo.

Referência



Os graffiti do pátio Beckett, x. No exercício de vertigem, o regime é a dromocracia. Segismundo.

Referência

2006-05-03


Chefe por assinatura. O senhor dr. Pereira Coelho pretendia concorrer com o senhor dr. Marques Mendes no concurso de acesso à presidência dessa seita chamada PSD. Para tanto, entregou as assinaturas referentes a um ror de subscritores da sua candidatura. Onde a porca torce o rabo é no facto de o conselho de jurisdição da confraria social-democrata ter apurado, no âmbito das suas diligências, um conjunto de assinaturas inválidas, entre elas a de dois militantes da seita já finados. O senhor dr. Pereira Coelho disse que não e explicou: “falou-se na existência de duas subscrições correspondentes a militantes falecidos, o que, não correspondendo à verdade, demonstra ligeireza da parte de quem proferiu semelhantes declarações. Que se tenha apurado, uma das pessoas não faleceu; quanto à outra nada foi apurado”. Ou seja, se non è vero, è bene trovato. Nicky Florentino.

Referência



Títulos que fazem uma vida, mas não todos os dias, xxxii. The Wilder Shores of Love. Segismundo.

Referência



Always the sun. Em Setembro vai haver Sol a dois euros. Coisas, foda-se, de senhor arquitecto. Segismundo.

Referência



L’enfer c’est les autres. Descobrimo-nos estúpidos em companhia, não na solidão. O que significa não tanto a necessidade de nos evitarmos quanto a necessidade de evitarmos os outros. Segismundo.

Referência

2006-05-02


Honradez. Segundo a edição de hoje do Público, um senhor deputado declarou ter efectuado deslocações em razão de trabalho político. Consta que não efectou de facto tais deslocações. Mas recebeu em conformidade as respectivas ajudas de custo, como se as tivesse feito. Na Assembleia da República parece que dizem que nada há a dizer sobre o caso. De acordo com o hábito, nestes pormenores basta a palavra do senhor deputado. A dizer que sim, mesmo que não. É isto a puta da honra. Nicky Florentino.

Referência



A ordem natural dos desmandos. Na Bolívia elegeram um índio para a presidência da República. Aí estão as consequências. Nicky Florentino.

Referência



A tendência destes dias fimdeAbril. O Afonso, que é João, foi-se embora. A Rita, essa, não, foi ali e já volta. Segismundo.

Referência



Dias perpétuos de ser der Mann ohne Eigenschaften, vii. © Cornelius Cort. Segismundo.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).