<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-7878673483950887896', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2019-08-19

rapsódia em Benjamin, iii




Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.
Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.





o vírus

Referência

2019-08-12

rapsódia em Benjamin, ii




Den Taumel der Vernichtung überwindet Lebendiges nur im Rausche der Zeugung.

Die sexuelle Erfüllung entbindet den Mann von seinem Geheimnis, das in Sexualität nicht besteht, in ihrer Erfüllung aber, und vielleicht in ihr allein, durchschnitten – nicht gelöst – wird.


daß es für das Leiden des einzelnen wie der Gemeinschaften nur eine Grenze, über die hinaus es nicht mehr weiter geht, gibt: die Vernichtung.
Da bewegte das Gotteshaupt dreimal verneinend sich von rechts nach links.
Der Blick ist die Neige des Menschen.
Das europäischste aller Güter, jene mehr oder minder deutliche Ironie, mit der das Leben des einzelnen disparat dem Dasein jeder Gemeinschaft zu verlaufen beansprucht, in die er verschlagen ist.



Es gibt nichts Ärmeres als eine Wahrheit, ausgedrückt wie sie gedacht ward.




o vírus

Referência

2019-08-05

rapsódia em Benjamin, i




Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.
Bücher und Dirnen kann man ins Bett nehmen.





o vírus

Referência

2019-07-29


errata d’helder, xlv. página cento e nove, linha dezassete, onde se lê caso deve ler-se asco. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-07-26


Seixal Strada. Essa instituição proclamada excelsa que é o ps foi intimada pela agremiação pássara a pronunciar-se sobre pronúncias de alguém que, por mérito e eleição e não por pedigree ou família, até há tempo escasso foi representante por aquele partido político no parlamento europeu. A resposta vinculando o nome da seita socialista veio pronta e segura, com a chancela de autoridade e administração do senhor presidente da seita, o senhor dr. Carlos César. Que tal e coiso. Percebe-se a bovinidade da resposta. Além de coadunada à bovinidade da intimação, a resposta tenta serenar a manada pássara, portanto também os passarões que a compõem. A parte da genuflexão e do felatio in ore - tão mal fingida - é que talvez não fosse necessária. Nicky Florentino.

Referência

2019-07-22


Escala de Meursault, ii. Promana do sol um nexo de causalidade que não é casual. Segismundo.

Referência

2019-07-15


o erro e a pedra

# xx
. a tarefa de empurrar repetidamente a mesma pedra morro acima até ao cume sem jamais lograr concretizar a empreitada é quanto custou a σίσυφος o erro de enganar a morte. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-07-08


No plano civilizacional e cultural milenário da cristandade.* Se existe, que diferença existe entre «soltar a parede» e «soltar a Bonifácio»? Segismundo.
__________
* Vide Maria de Fátima Bonifácio, “Podemos? Não, não podemos”, in Público, n.º 10.666, 06.julho.2019, p. 9.

Referência

2019-07-01


Escala de Meursault, i. Em termos de absurdo, o absurdo não é, nunca foi, o nec plus ultra do absurdo. Segismundo.

Referência

2019-06-24


melancolia zündapp

# lxxiv
. o coração é um sifão. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-06-17


Escala d’Ana, xviii. As gavetas dizem muito sobre as pessoas. Segismundo.

Referência

2019-06-10


errata d’helder, xliv. página cento e nove, linha doze, onde se lê alma deve ler-se lama. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-06-03


Página do livro das confrontações, v. Promover uma estatueta a estátua é o mesmo que equiparar um bibelot sobre naperon em cima de uma cómoda a Eusébio, uma operação de respeito pelo princípio da proporcionalidade. Como se sabe, pelo menos por quem sabe porque consegue saber, Cubillas foi bastante melhor. Segismundo.

Referência

2019-05-27


o erro e a pedra

# xix
. propiciada a barricada – ou seja, definida a base e estabelecido o horizonte –, para o exercício da situação, por e para o contraste, antes sobre a calçada do que sobre a praia. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-05-20


Escala d’Ana, xvii. Por que efeito de edição, efeito necessário, uma estatueta há-de ser promovida a estátua? Segismundo.

Referência

2019-05-13


melancolia zündapp

# lxxiii
. fortitude, o coração nas mãos. o de outrem. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-05-06


Escala d’Ana, xvi. O tamanho conta. Estatueta não é estátua. Segismundo.

Referência

2019-04-29


errata d’helder, xliii. página cento e oito, linha três, onde se lê à tona deve ler-se à toa. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-04-22


Escala d’Ana, xv. Os saraus literários são um motivo para usar lingerie provocante como qualquer outro. Segismundo.

Referência

2019-04-15


melancolia zündapp

# lxxii
. no amor não há escala. a estupidez implícita e que implica é suficiente. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-04-08


Escala d’Ana, xiv. O calçado é revelador de carácter. O vinho também. Segismundo.

Referência

2019-04-01


errata d’helder, xliii. página cento e quatro, linha onze, onde se lê dobra deve ler-se borda. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-03-25


Página do livro dos conselhos, ii. Cuidado com quem cuida das pensões. O irmão grande é insidioso, usa juristas. Segismundo.

Referência

2019-03-18


melancolia zündapp

# lxxi
. o amor é um lugar óbvio. apenas a fuga daí - através da morte, quando necessário - salva. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-03-11


Página do livro das sentenças, lxxvi. Os problemas das pessoas não são apenas os problemas que elas sentem e manifestam. É isso, a alienação, mais do que o estado de direito, o que sobretudo as salva todos os dias. Segismundo.

Referência

2019-03-04


errata d’helder, xlii. página cento e um, linha doze, onde se lê comissões deve ler-se comichões. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-02-25


Escala d’Ana, xiii. Releva sempre a lei, e através dela o direito, nunca a grei, e o que quer que seja essa incerteza e inutilidade a que se chama sociologia. Segismundo.

Referência

2019-02-18


melancolia zündapp

# lxx
. entre coração ou fígado?, o que for melhor com cerveja. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-02-11


Escala d’Ana, xii. Os problemas concretos, imediatos, são os problemas das pessoas, portanto os problemas para os quais há lei. Esses, são os únicos problemas reais e verdadeiros. Segismundo.

Referência

2019-02-04


errata d’helder, xli. página cento e um, linha sete, onde se lê orgulho deve ler-se gorgulho. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-01-28


Página do livro das latitudes, xliv. Um homem é como uma mulher. As mulheres, como os homens, é que não sabem dessa singularidade. Segismundo.

Referência

2019-01-21


melancolia zündapp

# lxix
. dar um tiro no coração e não lhe acertar é o sublime da fatalidade. falhar outra vez é o destino. Edgar da Virgínia.

Referência

2019-01-14


Escala d’Ana, xi. Os advogados não são todos iguais, os homens são. Segismundo.

Referência

2019-01-07


melancolia zündapp

# lxviii
. o poder de almotolia do coração é o desespero, quando o sangue acelera e aquece, o universo das hipóteses de captura falhada se expande, atingindo uma dimensão não computável. que fazer?, a esta pergunta nenhum coração responde quando é necessário. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-12-31


Escala d’Ana, x. Deveria ser segunda-feira todos os dias. Quinta-feira também. Segismundo.

Referência

2018-12-24


o erro e a pedra

# xviii
. haja ou não motivo para tal, há sempre oportunidade para arremessar outra vez a pedra. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-12-17


Escala d’Ana, viii. Cada noite, uma cruz. Segismundo.

Referência

2018-12-10


melancolia zündapp

# lxvii
. o coração é um órgão cercado pelo que consegue alcançar. a miséria sente-se por dentro. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-12-03


Escala d’Ana, vii. Catorze não é dezasseis, nomeadamente em números de porta e no destino a que, por causa da escala, levam. Segismundo.

Referência

2018-11-26


o erro e a pedra

# xvii
. no espectro das hipóteses entre o certo e o erro, onde é que o nada tem lugar? Edgar da Virgínia.

Referência

2018-11-19


Página do livro das latitudes, xliii. É menos a feracidade do que a ferocidade que define a feminilidade. A autenticidade também. Segismundo.

Referência

2018-11-12


melancolia zündapp

# lxvi
. moléstias de coração, a paixão, o amor, portanto a febre e sempre a traição. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-11-05


Página do livro das exaltações, i. São dores de crescimento, de reencontro com a índole, o que uma mulher sente quando deixa de suportar o recuo de ser mãe. Segismundo.

Referência

2018-10-29


o erro e a pedra

# xvi
. o erro é uma hipótese, apenas uma hipótese. errar é o horizonte completo. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-10-22


Da maternidade, xi. Não é escassa a diferença entre ser mulher e ser mãe. Ser esta é um recuo de ser aquela. Segismundo.

Referência

2018-10-15


melancolia zündapp

# lxv
. qualquer coração que funcione na condição de smooth operator é fatalmente porque traído ou porque traidor. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-10-08


Escala d’Ana, vi. No plano doméstico, os gatos não estão antes ou depois dos filhos, estão em vez deles, apesar deles. Segismundo.

Referência

2018-10-01


o erro e a pedra

# xv
. a pedra é um instrumento de aferição tanto da capacidade de alcance quanto do desvio entre o acerto e a falha. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-09-24


Página do livro das sentenças, lxxv. Ser mulher não é ser humano. Segismundo.

Referência

2018-09-17


melancolia zündapp

# lxiv
. esteja ou não sob assalto, independentemente do regime de sístoles e diástoles, o coração opera em que frequência de traição? Edgar da Virgínia.

Referência

2018-09-10


Página do livro das interrogações, xxiii. Em quê, porquê, para quê ser mulher é ser mulher? Segismundo.

Referência

2018-09-03


o erro e a pedra

# xiv
. na escala da contundência, no modo como amassa a carne ou o osso, a pedra é uma opção igual a qualquer outra. é irrelevante que seja diamante ou cascalho. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-08-27


Página do livro dos excursos, xiv. Em quê é que ser solteira é diferente de ser casada? Em quê é que ser casada é diferente de ser divorciada? Em quê é que ser divorciada é diferente de ser viúva? O estado civil de uma mulher é apenas uma ficção de cartório para discriminação estatística, não é uma condição ontológica, menos é um definidor do tipo de concupiscência de que as fêmeas padecem ou podem padecer. Segismundo.

Referência

2018-08-20


melancolia zündapp

# lxiii
. há quem espere demasiado, excepto a traição, de um órgão esponjoso que opera em ciclos de contracção e descontracção sucessivos, como se fosse um harmónio obstinado cujo o ritmo varia consoante a solicitação e o alcance. quanta aspiração, quanta ilusão. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-08-13


Escala d’Ana, v. Em mulher núbil o tom da derme revela o modo como ela está com cristo e a aldeia. Segismundo.

Referência

2018-08-06


o erro e a pedra

# xiii
. pode ser certo, pode ser erro, no entanto, no gesto, a pedra não é acidente. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-07-30


Escala d’Ana, iv. Noiva de fora não sabe da importância da tonalidade do bronzeado exibido no dia do casamento. Segismundo.

Referência

2018-07-23


melancolia zündapp

# lxii
. coração sputnik, nenhum é ou foi constituído para ser isso. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-07-16


Página do livro das conformações, iii. Não é por acaso que matrimónio se contrai à semelhança de morbo. Segismundo.

Referência

2018-07-09


errata d’helder, xl. página noventa e oito, linha onze, onde se lê louça deve ler-se louca. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-07-02


Escala d’Ana, iii. Subir à capela de uma aldeia inominável para casar alguma vez foi subir? Segismundo.

Referência

2018-06-25


o erro e a pedra

# xii
. a noite não é tenra, é americana. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-06-18


Escala d’Ana, ii. Beber palhete é melhor, dá mais mundo, do que ler contos da autoria de Lygia Fagundes Telles. Segismundo.

Referência

2018-06-11


errata d’helder, xxxix. página noventa e três, linha oito, onde se lê coleira deve ler-se coléra. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-06-04


Escala d’Ana, i. Não há intelectual que não seja pseudo. Segismundo.

Referência

2018-05-28


o erro e a pedra

# xi
. para efeitos de apreciação e julgamento, é mais relevante o destino da pedra do que o arremesso dela. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-05-21


Da maternidade, x. Na categoria «mãe solteira» a expressão do estado civil serve para pronunciar outro pecado além do original. Segismundo.

Referência

2018-05-14


errata d’helder, xxxviii. página noventa e um, linha um, onde se lê histórica deve ler-se histérica. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-05-07


Da maternidade, ix. A maternidade é um escândalo. Segismundo.

Referência

2018-04-30


melancolia zündapp

# lxi
. não há corações gémeos, há apenas contingências, casos e acasos. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-04-23


Da maternidade, viii. Se uma falha de mênstruo a explica, porquê a maternidade tende a ser tão sobrevalorizada? Segismundo.

Referência

2018-04-16


errata d’helder, xxxvii. página noventa, linha vinte, onde se lê frescura deve ler-se fressura. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-04-09


Da maternidade, vii. Há muito tempo que não há uma mãe perfeita. Nunca houve. Segismundo.

Referência

2018-04-02


o erro e a pedra

# x
. no erro não há intenção. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-03-26


Da maternidade, vi. Embora as sogras sejam mães, uma sogra não é sogra só por ser mãe. Segismundo.

Referência

2018-03-19


errata d’helder, xxxvi. página noventa, linha onze, onde se lê viúva deve ler-se vulva. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-03-12


Da maternidade, v. A mãe não é um animal do reino do homo æqualis. Segismundo.

Referência

2018-03-05


o erro e a pedra

# ix
. a certeza é algo que exige mais uma chaga, a quinta. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-02-26


Da maternidade, iv. Não é por causa da mãe que um filho da puta é filho da puta. Segismundo.

Referência

2018-02-19


errata d’helder, xxxv. página noventa, linha quatro, onde se lê plácido deve ler-se flácido. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-02-12


Da maternidade, iii. A generalidade das mães rima fatalmente com sopa. Que disso não resulte catarse é a segunda tragédia de quem é filho. Segismundo.

Referência

2018-02-05


melancolia zündapp

# lx
. nenhum coração mata na solidão em que percute. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-01-29


Da maternidade, ii. Mesmo quando não são, as mães são uma natureza estranha. Segismundo.

Referência

2018-01-24


Ao Marcelo. Na miséria álacre em que existem - e em que não pouco consentem existir -, os gentios rogam-lhe: afecta-me mais um bocadinho, vai. Como se cantassem tout va très bien, madame la Marquise. Ou o caralho. Nicky Florentino.

Referência

2018-01-22


errata d’helder, xxxiv. página oitenta e sete, linha vinte e um, onde se lê light deve ler-se night. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-01-15


Da maternidade, i. Ainda que não todas, as mulheres tendem à culpa de serem mães. Não por acaso inventaram a tarte de maçã. Segismundo.

Referência

2018-01-08


melancolia zündapp

# lix
. o coração jamais foi conhecido por gerar ou suscitar honestidade. Edgar da Virgínia.

Referência

2018-01-03


Cefalópode à lagareiro sonso. Afronta ao coração da agremiação do pássaro ao peito e no pleito, clamou o mister Rui Vitória. A qual?, a dúvida, porque, como cada polvo, o polvo escarlate tem três corações. G. Vico da Costa.

Referência

2018-01-01


Escala de Darwin, x. A insolvência é uma modalidade de adaptação cobarde. Segismundo.

Referência

2017-12-25


errata d’helder, xxxiii. página oitenta e sete, linha nove, onde se lê mel deve ler-se mal. Edgar da Virgínia.

Referência

2017-12-18


Escala de Bartleby, iii. Não significa não. Segismundo.

Referência

2017-12-11


melancolia zündapp

# lviii
. à semelhança do martelo, o coração é uma ferramenta de biscate. Edgar da Virgínia.

Referência

2017-12-04


Página do livro das sentenças, lxxvi. Há culpa porque se admite que há o que nunca existiu, consciência. Segismundo.

Referência

2017-11-27

errata d’helder, xxxii. página oitenta e sete, linha três, onde se lê lúdico deve ler-se lúbrico. Edgar da Virgínia.

Referência

2017-11-24


De quantos megapixels? A dick pic que o senhor doutor Bruno Maçães enviou à senhora jornalista Lily Lynch é uma fotografia de corpo inteiro. Nicky Florentino.

Referência

2017-11-20


Página do livro das latitudes, xliii. Quem quiser futuro que regresse amanhã. Segismundo.

Referência

2017-11-13


o erro e a pedra

# viii
. mais do que prova de vida, o erro é prova de contacto. Edgar da Virgínia.

Referência

2017-11-06


Página do livro das sentenças, lxxv. O destino não é o que paira, é o que pára. Segismundo.

Referência

2017-10-30


melancolia zündapp

# lvii
. o coração é o avesso da revolução, é o compasso. Edgar da Virgínia.

Referência

2017-10-23


Do cancioneiro capsular, i. Ouve-se o verso primordial, I don’t believe in an interventionist god*, e percebe-se imediatamente que a canção é uma oração. Só o amor e a estupidez enganam assim, na esperança do retorno do que fugiu ou morreu. Segismundo.
__________
* verso da canção “Into my arms” (in The Boatman's Call, Mute Records, 1997), de Nick Cave & The Bad Seeds.

Referência

2003/2019 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).