<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2004-06-30


Os gentios de Lisboa que (re)clamam por eleições legislativas não deviam andar também a (re)clamar pela eleição da Câmara Municipal de Lisboa?, se se estima que o senhor dr. Santana Lopes se prepara para saltar de um poiso político, a presidência do executivo municipal da capital, para outro, a presidência do governo da pátria, como se isto fosse um fandango ou uma plantação de palmeiras em Buarcos. Nicky Florentino.

Referência



A Maria José alertou. A propósito do número de cabeças mobilizadas e presentes na manif de ontem, em Belém, escreveu o Daniel (às 11.33 am), "fui jornalista e sei como os jornalistas contam pessoas. Adivinham. Não usam nenhuma técnica. Eu usei. A polícia contou, na anterior, 2.500 pessoas. Fiz a comparação". Anda tudo doido. Em que raio de paralelo ou meridiano é que a comparação de granel a olho é uma puta técnica? ou ciência infalível? ou quase?. Ó Daniel!, o juízo estouvado do senhor dr. Telmo Correia, com os seus dados objectivos, parece equivalente. Segismundo.

Referência



Por ora, na pátria, parece desvanecido o juízo e a elegância de algumas personagens suspostamente depositárias de responsabilidade política. Mas o problema não é político. Tão pouco é jurídico. O problema é o défice de trambelho e de pudor. Sempre o mesmo. Segismundo.

Referência



Não sei se o senhor dr. Santana Lopes é da Baixa da Banheira, do Cacém ou de Odivelas. Sei apenas que, na próxima quinta-feira, à noite, irá dirigir-se à pátria. E que, como o outro outrora, não é candidato a nada, não foi convidado para nada. Mas vai ser. Fatal como o destino. Gregório R.

Referência

2004-06-29


Em termos políticos, de entre a fauna mais perigosa, destaca-se uma espécie, a dos inventores. Os inventores são umas criaturas sinistras que jogam a hermenêutica, que ensaiam os limites plásticos de cada e qualquer argumento ou dado, conquanto as circunstâncias e as conveniências lhes permitam ou exijam. Há deles no flanco canhoto, assim como no flanco dextro. Aliás, a estupidez de uns e outros, no recorte político que conseguem, é indistinta. Acreditam piamente que o povo, essa mole plena de gentios ficcionada em tino e ordem, é sereno. Por isso, umas vezes fodem-se. Outras vezes fodem-no, ao povo. Apenas para confirmar que o que tem que ser tem muita força. Enfim, neste filme, não há, nunca houve, inocentes. O que faz da democracia uma tragédia simulada em comédia. Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. Luís Delgado, esse assanhado epígono da situação, em defesa da hipótese do senhor dr. Santana Lopes assomar a senhor primeiro-ministro da pátria, disse na SociedadeIndependentedeComunicaçãoNotícias, a favor da legitimidade do fulano, que o eleitorado de Lisboa representa um terço do eleitorado nacional. Mesmo quando a estupidez é franca, a ignorância não é, por não poder ser, bonita. Nicky Florentino.

Referência



Segundo a edição de hoje do Diário de Notícias, dezoito das dezanove distritais do PSD apoiam o senhor dr. Santana Lopes como sucessor dinástico na liderança da trupe. Dezoito das dezanove distritais... A ânsia é tal que alguém anda para aí a inventar distritos. Que são apenas dezoito. Nicky Florentino.

Referência



Existe na pátria um regime semi-presidencial? ou quê? Nicky Florentino.

Referência



Se o senhor dr. Durão Barroso vai assomar a senhor presidente da Comissão Europeia, já podemos votar contra o tratado constitucional da União Europeia. Para ingrato, ingrato e mais metade. Nicky Florentino.

Referência



É bonito e comovente quando eles abandonam o barco e proclamam que o fazem por devoção à pátria. Em Mafra, porém, contentam-se com menos. E permanecem no buraco. Provavelmente por serem de maior confiança. Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. Durão Barroso vai-se, ele próprio, hoje, disse. No mesmo instante, um gentio, ao lado, perguntou, qual é a novidade?, isso não se sabia já desde sexta-feira? Sabia. O jogo está viciado. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-28


O Filipe é um pedagogo de alto coturno. Seja como for, mentir aos alunos é muito feio. E os alunos acreditarem na patranha ainda é pior. Pois as mudanças políticas na pátria, como topa qualquer fogareiro discernido, ainda não acontecem por sugestão, mas por qualquer outro motivo mais duro e utilitário. Segismundo.

Referência



O ruído começa a ser excessivo, perturbante. Demasiado assanho paira no ar. Por isso, decidi, guardo-me na expectativa e no silêncio. Será que ele, o senhor dr. Durão Barroso, vai dizer sim? Será que vai dizer não? Será que o senhor presidente da República existe? E quarta-feira?, Portugal? ou Holanda?, quem vencerá? Segismundo.

Referência



De quem é o ufano juízo que destilou a patusca doutrina segundo a qual um partido político, quando em missão governamental, deve preservar a sua identidade? e, portanto, aplicado ao caso, sustentava que o senhor presidente do PSD não devia ser candidato a senhor primeiro-ministro? Alguém, pim!, pam!, pum!, pensou no senhor dr. Santana Lopes? Nicky Florentino.

Referência

2004-06-27


O José, danado, dissertou sobre a acédia. A propósito. Sob a dissertação sobre a acédia está a imagem de um vampiro. Em pose triunfal. Segismundo.

Referência



A democracia não existe. É uma ficção. E, enquanto ficção, opera como um limite de referência, como um horizonte. Há, porém, por latamente difundida pela propaganda, alojada nos crânios dos ingénuos gentios, a ilusão de que a democracia não é uma ficção. Mas uma ordem política já alcançada. A ilusão, no seu engano, sossega. Pelo que a inquietude surge apenas quando essa ilusão se desvanece. E se percebe que o pátrio Estado, menos do que governado dentro de uma ordem genuinamente democrática, é uma espécie de condomínio. Fechado. O que é bom quando esse fechamento protege o juízo político e a administração do humor volátil das hordas da rua e do populismo polaroid contemporâneo. O que é mau quando os eleitos ou nomeados não têm o pudor exigido e se comportam como um furão num galinheio, inebriados pela sensação king size de que são o rei pilha-galinhas lá do pedaço, sem par e sem ímpar. E que aquilo, o Estado, o lugarzinho na adminstração, é deles, só deles, tudo deles. Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. Durão Barroso, enquanto putativo candidato a assomar a senhor presidente da Comissão Europeia, até do Governo da pátria é, se for, uma escolha de segunda ordem. Ou mais. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-26


O Governo da pátria apoia a candidatura do senhor dr. Durão Barroso a senhor presidente da Comissão Europeia? ou quê? Nicky Florentino.

Referência



O José está que nem pode. Escreveu pobre país o nosso. E voltou a escrever, dobrado, uma e outra vez, pobre país o nosso. A ilustração do que tanto o desassossega, porém, mesmo sem legenda, é esta. Para além dela é a nebulosa twilight zone. Não a província do seja o que deus quiser. Pois essa é uma ficção de outra ordem. Nicky Florentino.

Referência



Fazem-lhe um convite. Ele pode responder sim. Ele pode responder não. É isso a liberdade de escolha. Nicky Florentino.

Referência



Não me fodam!, que eu já sou grande, exclamou um gentio no cerco da esplanada. Ele pode exclamar. Vale-lhe, porém, a exclamação, pelo efeito catártico. Pois o bom e o bonito neste jogo das políticas é o facto de as vozes do tipo não chegarem ao céu. A democracia é um lapso de tempo muito breve. Rousseau aludiu a isso. Depois é tudo deles, dos aristoligarcas democráticos. Que são maus por um único motivo. São escrutinados de entre a gentia turba que ulula na rua. Se as coisas fossem de outro modo talvez fosse melhor o mundo. Mas, seguro, seria despojado do que o faz tolerável. A miséria. Nicky Florentino.

Referência



Quem é que disse que em democracia os governos mudam em consequência (e por via) de eleições? Nicky Florentino.

Referência



Perante a hipótese de o senhor dr. Durão Barroso deixar de ser senhor primeiro-ministro da pátria e assomar a senhor presidente da Comissão Europeia, uma pergunta apenas. Vai o dito cujo aparecer na flash interview, depois do jogo da meia-final do Eurodoismilequatro, entre a selecção portuguesa e outra qualquer, com aquele embaraço ornamental ao pescoço, chamado gravata, no qual são omissos apenas os pagodes? É que esse é o único futuro que verdadeiramente interessa. Gregório R.

Referência

2004-06-25


Não são as meretrizes que também são convidadas sem serem candidatas?, pois um dos seus segredos é fazerem-se convidadas, como quem não quer a coisa que quer. O Marquês.

Referência



Mudar o primeiro-ministro é uma forma radical de remodelação governamental? ou quê? Nicky Florentino.

Referência



Os ratos são os primeiros a abandonar o barco. A frase também tem sentido se o sujeito for tematizado no singular. Ou se se chamar José Manuel ao rato. Como outrora se lhe chamou António. Nicky Florentino.

Referência



Se o mar é alto, é deixá-lo ir, ao senhor dr. Durão Barroso. Pois é de liberal dizer-se, seja feita a vossa vontade. Assim na terra, como no céu. E o pão nosso de cada dia nos dai hoje. Segismundo.

Referência



Um dia, o primeiro de um intervalo então inaugurado, o João declarou princípios. Desde então, até hoje, (con)viveu sempre nestas terras, nos etéreos e suspensos chãos daqui, espécie de lugar do nunca. Nicky Florentino e Segismundo.

Referência

2004-06-24


Qualquer credo que obrigue fideísmo é medonho. Mais medonho é se se organiza em mármore institucional, diferenciando pastor, cão de guarda e rebanho. Seja como for, na circunstância, a Igreja Maná não deve ceder às intenções dos promotores do concerto de Madonna no pavilhão Atlântico. É que ser iconoclasta, no caso, é dizer não aos emproados. Mesmo que seja pelo mau motivo de o lugar já está reservado para rezas. Segismundo.

Referência

2004-06-23


A análise dos resultados da eleição para o Parlamento Europeu proposta pelo senhor Prof. Doutor Fernando Rosas e estampada na edição de hoje do Público é um ensaio muito interessante. Destaque, em particular, para esta frase, "o BE, pela primeira vez, ultrapassa o PCP em sete capitais de distrito, em 73 concelhos rurais e urbanos e em inúmeras freguesias das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto (o BE ultrapassa o PCP em 21 freguesias do concelho de Lisboa), onde, com escassa diferença, os dois partidos emergem destas eleições como força de dimensão eleitoral comparável". A geografia, em análise de comportamento eleitoral, é o que é. Uma medida a granel. Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. Telmo Correia fez contas e descobriu que caso o CDS/PP tivesse concorrido isoladamente na eleição para o Parlamento Europeu teria logrado, à mesma, como aconteceu, a eleição de dois candidatos seus. O Mandrake também sabe fazer números, ilusionismos, desses. Segismundo.

Referência

2004-06-22


Segundo o senhor presidente dessa magnífica trupe de autarcas do PSD, uns tais de ASD, "só se justificam alianças com outros partidos nos concelhos onde o PSD não possa, autonomamente, chegar à vitória". Mais, acrescentou o dito, em plural majestático, "quando falamos em alianças com outros partidos, não os referimos apenas ao CDS/PP. Consideramos também razoável fazermos alianças com o PS". É isto a gula. E mais miséria do que pecado mortal. Nicky Florentino.

Referência



Vá lá saber-se por qual raio, o senhor dr. Durão Barroso parece que é percebido por alguns dos seus pares da União Europeia como um excelente candidato a presidente da Comissão Europeia. Consta que Zapatero é o único que olha de soslaio para ele. O motivo é aquela polaroid que o senhor primeiro-ministro tem certamente à cabeceira, a da cimeira dos Açores, anterior à ofensiva anglo-americana no Iraque. Como anfitrião em bicos dos pés, o desgraçado não conseguiu passar despercebido na ocasião. É essa a sua sorte. E a do Estado. Nicky Florentino.

Referência



Berlusconi já sabe por qual motivo as forças políticas que suportam o Governo italiano foram derrotadas na eleição para o Parlamento Europeu, no pretérito domingo. A esquerda, dada a manigâncias, cometeu fraude eleitoral. Pelo que não lhe restou mais do que a lamúria, è una ingiustizia, però! Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. Jorge Coelho, insigne socialista, afirmou-se equidistante em relação às diversas criaturas que se perfilam, de facto ou putativamente, como candidatos a senhor secretário-geral do PS. O que significa que, em termos de geometria das simpatias, o senhor dr. Coelho já foi mais amigo do senhor dr. Ferro. Nicky Florentino.

Referência



A dor é um sentimento sem máscara. É essa a sua verdade. Verdade que não é possível disfarçar no engano do futebol. O Marquês.

Referência

2004-06-21


Disse o senhor dr. João Soares, insuspeito socialista, "uma coisa são os militantes, cidadãos anónimos que dão a cara pelas suas próprias convicções e a sua bandeira partidária, outra são os aparatchiks que vão dominando a vida dos nossos partidos políticos". E outra coisa ainda, que apenas o pudor o impediu de apontar, são os filhos do pai. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-20


O Filipe, no seu indisfarçável jeito urbano-castiço, assomado pela vertigem febril instalada no rectângulo contra o qual o Atlântico se projecta, clamou orgulhosa e enfaticamente no pasarán! Pergunto-me se terá também uma bandeirinha suspensa no estendal da roupa, para dançar conforme os ares que sopram no Princípe Real. Segismundo.

Referência



Uma das características que faz o mundo suportável é a sua exactidão. Por muito que a ilusão do livre arbítrio sossegue os inquietos juízos, o que tem que ser, tau!, tem muita força. O que significa que, por estes dias, uma horda dos mesmos gentios que andam para aí a agitar freneticamente os lençóis verde-rubros com as insígnias da pátria se vá precipitar, como um cardume de piranhas para um suculento naco de novilho em sangue, em direcção a Alfragide, em excursão a uma loja de móveis chamada Ikea. Pavlov, aliás, já tinha feito a mesma experiência. Porém, com cães. Segismundo.

Referência

2004-06-19


Percebe-se melhor que algumas das consortes dos jogadores da selecção russa se dispam do que os gentios desfraldem e agitem bandeiras da pátria. Elas, pelo menos, têm algo a mostrar. Algo que é seu. Segismundo.

Referência

2004-06-18


Chamar auto-estrada à Áoito é um pretexto para cobrar portagem por um mau, muito mau, serviço. Segismundo.

Referência

2004-06-17


O senhor Doutor José Lamego é, como outrora chamaram a Anselmo Braancamp, “nevoeiro organizado em estadista”. Cinzento. Opaco. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-16


Noticia a edição de hoje do Público, “hipódromo do Campo Grande já não vai para Monsanto”. O que significa que sequer a geografia é simpática com o desatino do senhor dr. Santana Lopes. Puta de sina, a dele. Nada acontece no lugar que ele estimou. Nicky Florentino.

Referência



A revolução existe apenas em estado bruto, enquanto dinâmica, processo. Compreende-se, por isso, que o PCP se incomode com demoras ou esperas. Tendo a coligação entre o PSD e o CDS/PP sido clamorosamente derrotada nas urnas no último domingo, mesmo que numa eleição para o Parlamento Europeu, entende o senhor secretário-geral comunista que este é o momento para reclamar a demissão do senhor primeiro-ministro. Não lhe interessa que o jogo jogado tenha sido outro e que nada tenha a ver com eleições legislativas. A ânsia comunista é assim. Uma espécie de desmesurado desejo de ultrapassar o futuro. Que se intensifica doentiamente por a trupe socialista se revelar mansa e conformada com o facto de não assomar ao Governo da pátria. Nicky Florentino.

Referência



Segundo a prosa inscrita em artigo estampado na edição de hoje do Público, a senhora arq.ª Helena Roseta quer liquidar as tendências oligárquicas do PS. Por outras palavras, quer liquidar, que é o mesmo que falir, o PS. Pois os partidos políticos, hoje, não podem ser diferentes do que são, uma constelação nebulosa que condensa em si os princípios do cartel parasita, que se nutre dos despojos do Estado, e da organização de franchising, que suporta as simpatias e lealdades típicas da relação de clientela. Nicky Florentino.

Referência



Na página sessenta e três do suplemento Local – Lisboa da edição de hoje do Público está estampado um anúncio alusivo à inauguração da «Rotunda das Selecções», em Tercena, junto ao acesso a Massamá, sob o ICdezanove. Como se a iniciativa, por si só, não fosse já suficientemente estúpida e embaraçosa, a Câmara Municipal de Oeiras tratou de lhe dar publicidade. Sim, é verdade, a estupidez, quando é franca, en-canta, tipo merry go round. Segismundo.

Referência



O Doutor José Lamego anunciou ser candidato a secretário-geral do PS. Como a excursão ao Iraque está a acabar, deu-lhe para isto. As saudades têm este efeito pernicioso. Alucinam. Segismundo.

Referência



O Francisco começou num dia assim. Desde aí, até hoje, correu um verão inteiro, contado bissexto. Nicky Florentino e Segismundo.

Referência

2004-06-15


Reagiu, altivo, o senhor dr. Bernardino Soares, líder da trupe parlamentar do PCP na Assembleia da República, "nós não avaliamos o nosso resultado [na eleição para o Parlamento Europeu] em função dos resultados do BE". Provavelmente, porque a revolução de uns não é a revolução dos outros. Provavelmente, porque as brincadeiras de uns e outros são só deles mesmos e não partilháveis. Nicky Florentino.

Referência



Uma das alegrias dos gentios mais sobejamente documentada é a colocação dos produtos que pretendem adquirir no tapete rolante da caixa do super ou hipermercado onde foram às compras. Tal acto serve não apenas para impressionar os circundantes, mas também para incrementar ou consolidar a auto-estima das criaturas. Um homem mede-se pelo volume do carrinho das compras derramado sobre um tapete, não tanto pelo tamanho ou pelo valor do ticket. É por isso muito má vontade a revelada por uma empresa pátria, a Number Five, que, muito na ponta, pretende destruir essa vital experiência fenomenológica do consumo, por estar a investir na hipótese de dispensar a colocação das compras no tapete rolante. Pois, com isso, os gentios vão deixar de se sentir projectados no que desliza diante dos seus olhos, em direcção à menina indiferenciada da caixa. Segismundo.

Referência

2004-06-14


Um “antro da antipolítica e da anticidadania” é o que o dr. Eduardo Cintra Torres, olho vivo, diz ser a lota de Matosinhos, que ele conheceu pela televisão. Podia ser pior. Por não ter visto o peixe, podia ter-lhe chamado, à lota de Matosinhos, bataclan. Segismundo.

Referência



O José, verificado o nível de abstenção nas eleições para o Parlamento Europeu, interroga-se sobre a legitimidade para os governos aprovarem a dita Constituição europeia. A União Europeia não é, por não haver disposição e condições para ser, uma entidade democrática. É tão só o que pode ser. Robert A. Dahl, por exemplo - provavelmente um bom exemplo, melhor do que David Held ou Daniele Achibugi -, chamou-lhe sistema burocrático de barganha. Pois acontece que, em determinada escala, este é o máximo possível de democracia. Que, como é evidente, não é democracia. Nicky Florentino.

Referência



Segundo o senhor dr. Paulo Portas, “um país em que a maioria se abstém não é um país mobilizado para castigar nem para apoiar”. O que, traduzido, quer dizer que Portugal não é um país. É um sindicato ingrato. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-13


Segundo um jornalista do Público, River Euphrates é um curioso b-side dos Pixies. É bonito quando se alucina. Pois River Euphrates é uma faixa do álbum Surfer Rosa. Segismundo.

Referência



Segundo um jornalista do Público, a baixista dos Pixies, Kim Deal, durante o concerto no Parque Tejo, na pretérita sexta-feira, vestia umas calças às flores. A miopia é fodida. A leveza do olhar também. Pois as calças da senhora não eram às flores. Eram, sobre um fundo azul, aos fantasmas. Embora à distância, flores e fantasmas, sejam quase a mesma coisa. Segismundo.

Referência




© Mackenzie Thorpe, 2003. O Marquês.

Referência

2004-06-12


Amor, disse ela, em apelo. Na mão, sobre uma fatia de broa comprada à tarde no Pingo Doce de inqualificável qualidade, uma sardinha assada, para lhe oferecer. O gesto da dádiva. O corpo e o espírito, dela, dados no gesto. Ele, porém, respondeu-lhe com um olhar de severo desprezo. Lia-se-lhe nos olhos, o rapaz era carnívoro. Ela corou, provavelmente chorou. Sofreu o erro. Sob o fétido perfume de sardinha assada, que corria o bairro, a Bica. Enquanto as marchas populares corriam a avenida, lá em baixo... O Marquês.

Referência



A hora do café chegou. O apelo da cafeína. Quem quer café?, perguntou, em convite, um dos da pândega. Ouvidas algumas respostas, vamos àquela tasca, ordenou, então, em sugestão. Lá chegados, à tasca, perguntou ele, quantos são? Seis, responderam-lhe. Olhe, são seis cafés, se faz favor, demandou ele. Seis cafés foram colocados sobre o balcão. São três euros, informou o aviador. Se te chamar filho da puta, erro apenas, se errar, o nome da tua mãe, disse um dos da tal meia dúzia, enquanto insistia em beber a espécie de café que, como todos os outros, cinco, tresandava a fénico. Não havia livro de reclamações na tasca. Apenas um obsceno odor a sardinha assada. O arrependimento é sempre, como sempre, tardio. O que faz do que com ele se aprende uma lição tardia. Segismundo.

Referência



Sob o neauseabundo cheiro da sardinha assada. Disse um gentio que passava pela rua do Almada, à Bica, o resultado da Grécia foi melhor do que o de Portugal. Reagiu o outro gentio, como é que sabes?, pá, as eleições não são só amanhã?... Após um breve silêncio, o primeiro gentio parou, olhou o outro, fixou-o e, incrédulo, perguntou, mas do que é que estás a falar?, pá. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-11


Hoje é a data do concerto dos Pixies na pátria. Não interessa o mundo. Apenas o parêntesis da noite, lá fora. Para mais, amanhã é sábado. Dia das sinistras marchas populares na capital da pátria. Dia em que cheirará a sardinha assada, iguaria com que os gentios se deleitam obscena e abundantemente, como se manjar de banquete se tratasse. O que faz de hoje uma véspera ainda mais urgente para jejum de todas as misérias deste mundinho chamado Portugal. Nicky Florentino e Segismundo.

Referência

2004-06-10


Um homem não é de ferro. E o José, homem que é, confirma a regra. Conforme confessou no artigo estampado na edição de hoje do Público, a fortuna da roda das coisas fez com que ele, em empreitada de galopim, tivesse assistido “a um ou dois jogos de futebol e até a uma corrida de cavalos”. O que significa que se, enquanto ficção que é, o povo é uma entidade medonha, mais medonha é a representação que dele é feita nos intervalos de galopinagem fandanga, que são as campanhas eleitorais. Confiando que os gentios são estúpidos e criaturas alarves, cujo habitat natural são as feiras, os mercados, as romarias, os lares para idosos ou os hospitais, os candidatos dispõem-se a imitá-los, para serem populares, para parecerem povo. O que não se faz, o que não se investe para perpetuar esse engano chamado democracia. Nicky Florentino

Referência



Ano após ano, a feira do livro de Lisboa vai trepando pelo parque Eduardo VII acima. E a orgia bibliográfica de outrora, da origem, dos primeiros anos, vai-se diluindo inexoravelmente. Ler produz este efeito, chamado desencanto. Segismundo.

Referência



Conforme promessa, a edição de hoje de hoje do Expresso ofereceu uma bandeira da pátria. O logo da entidade patrocinadora, tipo agiota, lá está. Num dos rebordos da manga onde se mete o pau. Fatal. Para que ninguém esqueça que não há bandeiras grátis. Segismundo.

Referência



Deambulam pelo shoping center. O consumo não lhes dissolve, não lhes ilude a miséria. As montras, transparência de todas as tentações, encontram-lhes a vontade que as próprias montras lhes sugerem. O seu olhar é cavado em si, mais inexpressivo ou baço do que blasé. Os seus passos são sincopados, sem roteiro, cativos e corpo de um destino que se desloca para o destino. Arde-lhes por dentro uma dor que não se vê, que disfarçam todos os dias, como se aquele lugar fosse um santuário de vergonha. Vergonha que nenhuma oração, diferente do código do cartão de débito, redime. É isso que lhes revolve, até ao limite das mucosas e da sensibilidade – não do juízo –, as mágoas que a máquina do capitalismo lhes subsidia sob a forma mais sublimada do prazer enganado, da realização fingida. O consumo é talvez a dimensão mais sofrida da hodierna integração humana na grei. Por isso (n)os preenche tanto. O Marquês.

Referência

2004-06-09


Pergunte-se, hoje o défice ficou órfão?, e aguarde-se a resposta dos que antes tão assanhados se revelaram em relação ao seu pai. A vida é mais exacta do que um filme. O eco do silêncio confirma-o. A morte ainda obriga ao pudor. É talvez a sua maior virtude. Para os vivos. Para os que vivem. Nicky Florentino.

Referência



No próximo sábado, o senhor presidente da Câmara Municipal do Porto irá entrar no estádio do Dragão. Disse ele que assim é por direito próprio. Não, não é. É por convite da UEFA. Nicky Florentino.

Referência



Quando o senhor major Valentim Loureiro foi arrestado pela polícia judiciária, a direcção do Público teve o supino cuidado de, numa polaroid estampada na fronha do jornal, tornar irreconhecível a face dos agentes que escoltaram o dito fulano a forçada consulta no tribunal. Na edição de hoje, porém, a liberal vigilância de tal direcção revelou-se aliviada. E aconteceu asneira. Pois na página dezasseis surge a imagem do recibo relativo a uma coima paga pela senhora dr.ª Manuela Ferreira Leite ao serviço das finanças do respectivo bairro, imagem na qual é possível perceber não apenas o nome da relapsa criatura, mas também a respectiva morada e número de identificação fiscal. Informação que, mesmo a quem anda a espetar agulhas numa boneca de voodu que represente a senhora ministra de Estado e das Finanças, não interessa puto. Segismundo.

Referência



Surpreso por a encontrar, sua puta!, o que é que andas a fazer por aqui?, disse ele. Ela sorriu e abriu-lhe os braços, dando-se para o acolher. Ela conhecia-o. Ele sabia quem ela era. O Marquês.

Referência

2004-06-08


Esta noite, os sapatos do porteiro do Hipopótamo tinham pó para além da medida urbana. Será isso mau para a imagem da pátria?, pergunte-se ao senhor ministro Arnaut. O Marquês.

Referência



O José dissertou sobre os motivos da abstenção na eleição para o Parlamento Europeu e detectou, no seu juízo, ser o maior de todos "a falta de democracia do processo europeu". De facto, o cidadão europeu, porque não existe disponível, é uma ficção inédita, um constructo. Por isso, a construção da União Europeia é, tanto quanto pode ser, um processo necessária e "essencialmente vanguardista, elitista e burocrático". Ou seja, não é, por não poder ser, um processo democrático. Daí que a eleição para o Parlamento Europeu seja o que uns politólogos chamam de eleição nacional de segunda ordem. Por outras palavras, é um concurso eleitoral, mas não interessa puto. Pois a Europa, do que sabem os gentios, é muito lá longe, sabe-se lá onde. Nicky Florentino.

Referência



Segundo a edição de hoje do Público, em Matosinhos, a novela e os edis repetem-se. Não é isto o idílio, político que fosse. É apenas a farsa do costume. Nicky Florentino.

Referência



Um bocadinho de semiologia gasosa, disse o Rui. Não sei o que é. Não quero saber. Segismundo.

Referência



Áum, sentido Norte-Sul, a um ritmo que a lei, não a máquina automóvel, proíbe. Entre os quilómentros oitenta e seis e oitenta e cinco, deparo com uma coluna de veículos da PSP. Ao cabo, uma raimona da Volkswagen, azul oficial e segurança. Adiante, também azul oficial e segurança, três veículos de maior envergadura, equipados com canhão de água. A topar a coluna ia a viatura, dessas três, com a matrícula OT-93-69. A debitar um obsceno lençol de fumo negro. É isto, senhor dr. Arnaut, que dá má imagem à pátria. Os motores de rega da política têm um problema de combustão. Segismundo.

Referência



Vénus transita hoje pelo disco solar. O que significa que o universo, como tanto deste mundo próximo, roda conforme as expectativas. Não é bom augúrio. Segismundo.

Referência




© Mackenzie Thorpe, 2003. O Marquês.

Referência

2004-06-07


O Paulo, involuntariamente envolvido num jogo de enganos, revelou ser criatura de olho vivo e pé ligeiro. Se o padeiro do cartaz do BE é um figurante brasileiro, é um figurante brasileiro. Não é um cartaz anti-Bush. É isto o discernimento. Segismundo.

Referência



Segundo o senhor Prof. Doutor Ernâni Lopes, a nacionalidade dos capitais concorrentes num processo de privatização, como o da Galp, “não é [tema] para ser discutido em público, fazê-lo é logo um sinal de erro”. É tranquilizador saber que o mercado também necessita dos seus segredos. Como a vida. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-06


A Câmara Municipal de Lisboa está a promover um programa de excursão às obras do túnel do Marquês. A puta da imaginação não tem limites. O desatino também não. Segismundo.

Referência



O metropolitano do Porto já chega ao Estádio do Dragão. O que quer dizer que, apesar de todos os bisonhos autarcas com sotaque, já chega a bom destino. Nicky Florentino.

Referência



Ontem morreu Ronald Reagan. Um bom motivo para se (re)ler o capítulo catorze d’The Atrocity Exhibition, uma miscelânea de short stories de J. G. Ballard. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-05


Anuncia a edição de hoje do Expresso que, na próxima edição, junto com o jornal, será oferecida uma bandeira da pátria. Não informa, porém, se, como o lenço branco que foi oferecido para acenar nessa missa fandanga chamada Rock in Rio, a bandeira ostentará o logotipo da entidade que patrocina a iniciativa. Segismundo.

Referência



Disse o senhor dr. Luís Filipe Menezes, “não há nenhum português que não saiba qual é o papel do Parlamento Europeu”. É isso e o que é um protozoário. Nicky Florentino.

Referência



Por haver sido entregue na Assembleia da República, agora – em período de campanha eleitoral –, uma petição subscrita por mais de cinco mil e trezentos militares, o senhor secretário de Estado da Defesa e dos Ex-Combatentes, num assomo de vulgar estupidez, disse que “há momentos em que os militares se devem indignar com as associações”. Ficou a saber-se, pois, pela douta, lúcida e sã doutrina propagandeada pelo senhor secretário de Estado, que em matéria e petições e de indignação ele há épocas. Como na caça ao tordos. Nicky Florentino.

Referência



A Associação Nacional dos Municípios Portugueses sugeriu ao Governo a criação de um novo quadro jurídico de regulação dos planos municipais de ordenamento do território que seja mais flexível. Designadamente quando estão em causa “projectos geradores de riqueza e emprego”. Enfim, quando não há tino que permita projectar, planear e programar, a solução é a flexibilidade. Que é o mesmo que dizer, a orientação pela bolina. E pelas conveniências. O que não é boa ou salubre política. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-04


A agenda política está tomada pela próxima eleição de deputados para o Parlamento Europeu. Os gentios, esses, parecem pouco sintonizados com tal fenómeno. Para além da da alienação, da incompetência e do cinismo que habitualmente os afecta, há a considerar o facto de os candidatos não lhes sugerirem temor e de pouco ou nada falarem sobre a questão europeia. Alguns, aliás, entretêm-se com intervenções a roçar o rançoso político. Seja como for, está escrito no destino, a abstenção será maior do que eles, os que vivem da política. E ainda assim, eles, sequer disfarçam, simulam convictamente um incómodo. Por pudor, deviam, no mínimo, fingir preocupação. Mas eles, nem mesmo eles, consideram isto mais do que uma paródia. Pelo que, em conformidade, deixar-se-á aqui, neste tugúrio, de reportar os feitos ou ditos daqueles que andam para aí a deambular em galopinagem. Se a paródia é lá fora, é lá fora que ecoará. Não aqui. Assim sempre nos reservamos da danada concorrência desleal. Danados, autênticos, infelizes, maus, só aqui. Nicky Florentino e Segismundo.

Referência



Segundo o senhor ministro da Saúde, em discurso directo, “por vezes levanta-se a questão de a participação feminina poder estar de alguma maneira condicionada pelas suas responsabilidades em termos domésticos, em termos de vida familiar”. Não lhe ocorreu no instante, há lapsos de juízo assim, que tal participação pudesse estar de alguma maneira condicionada pela irresponsabilidade dos homens em termos domésticos, em termos de vida familiar. Até porque, deve ele julgar, o homem é por natureza uma besta de rua, solitária. Ou isso ou homem de Estado. O que não é necessariamente uma identidade diferente. Segismundo.

Referência

2004-06-03


A GNR desencadeou uma operação sobre vários estabelecimentos de alterne no norte da pátria. Chamou-lhe «Operação urtiga». Justa denominação, esta. E, seguro, mais urbana - embora menos indiciária - do que uma outra hipótese disponível, «Operação esporra da moita». Segismundo.

Referência



O dr. António Costa, candidato socialista ao Parlamento Europeu, acusou o Governo de se estar a preparar para conceder tolerância de ponto no próximo dia onze e, por essa via, estimular a abstenção eleitoral. Esta acusação é francamente estúpida. Seja ela atinada ou não. Pois acontece que um Governo de que o dr. António Costa era membro – será que ele já se esqueceu? – fez exactamente o mesmo nas vésperas da última eleição para o Parlamento Europeu. Nicky Florentino.

Referência



Disse o senhor dr. Alberto João Jardim, “estou em total discordância com o Prof. Cavaco Silva quando este diz que a Constituição não é o problema deste país. É o primeiro e o grande problema deste país”. Porquê? Ele não explica. Mas certamente terá algo a ver com o facto de a Madeira, embora (pela prática) já seja, ainda não ter o estatuto de condomínio dele, só dele, todo dele. Nicky Florentino.

Referência



Nos concursos eleitorais, como no nascer, ser terçô é ser o último. Nicky Florentino.

Referência

2004-06-02


O senhor Prof. Doutor José Manuel Pureza, candidato do BE ao Parlamento Europeu, chamou partido canguru ao CDS/PP. Não é ajuizada a fábula. Pois a Austrália fica muito longe. Nicky Florentino.

Referência



O senhor dr. António Costa, candidato socialista ao Parlamento Europeu, disse que o voto no PS é o voto dois em um, pois expressa simultaneamente o que os eleitores querem da Europa e o que não querem do Governo. Só não serve é para jogar no joker. Esse é outro jogo. Essa é outra cruz. Nicky Florentino.

Referência



Escreveu o senhor eng.º Manuel Queiró, em artigo estampado na edição de hoje do Público, “nisto da descentralização o método é tudo”. É verdade, sim senhor. Há um único problema. Não existem metodólogos competentes. Nicky Florentino.

Referência



Escreveu o senhor eng.º Manuel Queiró, em artigo estampado na edição de hoje do Público, “as autarquias locais e os seus órgãos, ao votarem a sua inclusão em grandes áreas metropolitanas e em comunidades urbanas, estiveram à sua maneira a exercer um direito de autodeterminação”. Pois... tal como o coelhinho foi com o palhaço e o pai Natal no comboio ao circo. Nicky Florentino.

Referência



O senhor presidente do conselho directivo do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar defende a criação de quotas a favor dos homens na admissão aos cursos de medicina. Entre outros motivos porque os homens se embaraçam se consultados por uma urologista e porque as médicas engravidam. A luta continua. Segismundo.

Referência



Dizer que durante esta campanha eleitoral tem havido ofensas, sob a forma de injúria, calúnia, ignomínia ou infâmia, é uma ofensa às verdadeiras ofensas. O que tem havido é desgosto. E revelações de nenhum ou pouco tino. Facto que não constitui novidade. Há muito que o circo, sempre o mesmo, está na cidade. Segismundo.

Referência

2004-06-01



© Mackenzie Thorpe, 2003. O Marquês.

Referência



Segundo a edição de hoje do Público, A Capital pretende ser um jornal para Lisboa. Em conformidade, no futuro não se preocupará tanto com as miudezas autárquicas. Para colmatar, foi decidido pela nova direcção do referido diário tratar o grosso do que se refere à Assembleia da República na secção referente a Lisboa. O argumento para assim ser, no seu alcance mais longo, é bonito, lapidar e transpira tanto sensatez quanto juízo, “grande parte do que acontece em Portugal acontece em Lisboa”. Aliás, Lisboa é um mundo. Inteiro. Cercado por uma orla saloia. E sem Assembleia da República. Segismundo.

Referência



Segundo o senhor secretário-geral do PCP, as putativas ofensas ao cabeça de lista da candidatura do PS ao Parlamento Europeu por parte de criaturas afectas à candidatura da coligação Força Portugal! têm um objectivo, ocultar as semelhanças entre ambas as candidaturas. É como se fosse carnaval. Assim torna-se mais difícil saber quem é quem. Os comunistas, sempre alerta, é que não se deixam enganar. Azar deles é que os eleitores também não. Nicky Florentino.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).