<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2011-05-31


ζῷον πολιτικόν. Tanto broche por resolver e ninguém para os fazer como deve ser. Segismundo.

Referência

2011-05-26


Tokyo wonder land. Dizer o quê sobre Lady Gaga?, se o nome da pessoa é Stefani Germanotta. Segismundo.

Referência

2011-05-25


o Ruben bala. na repartição de finanças declarou como profissão domador de hipopótamos, palhaço e homem-bala. omitiu ser montador do estaminé, quase estivador, martelar cavilhas gigantes no chão e esticar os cabos que elevam e sustentam a tenda. actualmente o negócio está mau. embora muita da renda seja ao negro, os espectadores não abundam e, assim sendo, o escapismo fiscal não rende. a história faz lembrar ein hungerkünstler, o conto de Kafka. disparado a mais de duzentos quilómetros por hora, está assim estampada a promoção do espectáculo num dos camiões do circo. na verdade não é o que possa julgar-se. Ruben é projectado e cai numa rede. é apenas isto. apesar dos nervos, das vozes sussurradas e do rufar dos tambores, é triste. O Marquês.

Referência

2011-05-24


Coisas sérias, i. Alguém devia ter feito o teste Voight-Kampff ao senhor prof. doutor Eduardo Catroga antes de ele se ter exilado no brasil. Nicky Florentino.

Referência

2011-05-19


Nos bastidores neuronais de como é que fico a olhar prós. A coerência não é propriedade que o senhor eng.º José Pinto de Sousa estime ou cuide. A quinze de outubro de dois mil e quatro, no âmbito de um debate parlamentar, ele disse “os portugueses não podem confiar num primeiro-ministro que uma vez diz umas coisas, outra vez diz outras”. Agora atente-se no carrossel que desanda na caixa craniana dele. Porque depois o senhor eng.º José Pinto de Sousa disse mais umas coisas.
A trinta e um de outubro de dois mil e oito, no encerramento da xviii cimeira ibero-americana de chefes de estado e de governo, realizada em el salvador, “quando se formou, o fmi formou-se para ajudar e agora mesmo ouvi o presidente [da república] de el salvador dizer que, felizmente, el salvador não tem contratos com o fmi. Isto diz tudo sobre a credibilidade e prestígio que hoje o fmi tem no mundo”. Está bem, foi el salvador como podia ter sido burkina faso.
Em entrevista publicada no diário de notícias a doze de dezembro de dois mil e dez, “não há nenhuma razão para que o fmi entre em portugal, porque portugal não necessita disso! O governo não necessita disso, nós sabemos exactamente o que fazer e não precisamos que alguém nos venha dizer o que devemos fazer”. Pois, porque estava, está claro.
A vinte e oito de janeiro de dois mil e onze, em reacção após o final de mais um debate quinzenal na assembleia da república com a presença do primeiro-ministro, "os jornalistas só falam do fmi, mas portugal não precisa de nenhuma intervenção externa, não precisa de nenhum fmi, nem de nenhum conselho do fmi”. Se alguém acreditava que algum dia o senhor prof. doutor Francisco Anacleto Louçã iria ler uma passagem de um texto publicado na sebenta da entente burgueso-capitalista-exploradora-liberal the economist para demonstrar que o senhor eng.º José Pinto de Sousa não tinha bem noção do que é que estava a apregoar.
A dezanove de março de dois mil e onze, na apresentação aos militantes socialistas da moção que suportava a recandidatura dele a secretário-geral do ps, realizada no porto, “eu não estou disponível para governar com o fmi”. Quase com a solenidade do tipo read my lips, babalu.
Assim fica melhor?, o caso não é para vaselina, ou fica melhor assim?, é para benzina. Muita. O raio é que as concorrências não são menos nódoa e a dissonância cognitiva existe. Nicky Florentino.

Referência

2011-05-18


Açucena, a manicura. a mão é como a alma, nutre-se sobretudo do que lhe providencia felicidade, artesanato, masturbação, pugilismo ou qualquer outro modo de amanho. a mão, zás, já está, o cliente gritou e recolheu os dedos, é um dispositivo de ligação directa ao mundo. O Marquês.

Referência

2011-05-17


sometimes charlie stevens goes to memphis
§ v
.

a deal with god. here i am, i said and asked him, where are you? he never showed up or apologized. joão w. g.

Referência

2011-05-11


mistério. o guerreiro voltava a casa e entregava a espada à esposa para que, com o cuidado devido a qualquer arma usada, fosse limpa. seguindo a tradição da estirpe, ela limpava-a com lenços de linho, ensanguentando tantos quantos fossem necessários, que depois lavava em água corrente e abundante. um dia, sem porquê, ela não usou os lenços para limpar a espada, lambeu-a. e desde então ansiou que ele voltasse mais rápido das batalhas e que o intervalo entre elas não demorasse tanto. ao contrário do que possa julgar-se, ela não foi ficando mais nova a cada regresso do marido dos combates, não, ela envelheceu ao ritmo dele. para além disto, as folgas da paz, que antes tanto desejou, tornaram-se um período de agonia para ela. até que, também sem porquê, iam as tréguas longas, dormia o marido o descanso dos guerreiros, ela golpeou-o vezes várias e sentou-se na cama de docel a lamber a espada. vindo em socorro por causa dos gritos ouvidos, a criadagem avançou incrédula para os aposentos e chorou o herói morto. por quem?, esta é uma dúvida que os investigadores jamais esclareceram. O Marquês.

Referência

2011-05-10


Escala de Groo, iii. Porquê ladras?, se o cão é tão ou mais estúpido do que tu. Segismundo.

Referência

2011-05-09


Thornhill por Kaplan, nunca te aconteceu?


Willard Maas e Ben Moore © The Mechanics of Love, 1955.

Referência

2011-05-05


Nação valente e imortal. Quando se perde o sentido da simplicidade dá para quase tudo. Inclusive para não ver o que é evidente. No capítulo nono do livro terceiro de Du Contrat Social, Rousseau sondou os critérios em função dos quais poderia avaliar-se a qualidade do governo. Não é que a filosofia política de Rousseau seja de fiar - o conceito de vontade geral faz eriçar qualquer juízo minimamente sensível à liberdade -, porque não é, mas suspenda-se a fiança e o receio por instantes. Apesar de problema complexo, entendeu Rosseau que, em instância derradeira, o governo bom é aquele capaz de proporcionar o crescimento populacional (*). Em exercício aplicado desta concepção percebe-se que as situação e tendência demográficas da pátria - consequência da diminuição do índice de natalidade e do aumento da emigração - são o indício da desgraça. Em portugal, procriar é prometer prole à desgraça. Pelo que, em termos políticos, neste chão, a quem com capacidade reprodutiva resta a decência de não amaldiçoar quem possa ser parido, usar dispositivos contraceptivos, masturbar-se ou escolher parceiro do mesmo sexo para a brincadeira. Nicky Florentino.
__________
(*) “le gouvernement sous lequel, sans moyens étrangers, sans naturalisations, sans colonies les citoyens peuplent et multiplient davantage, est infailliblement le meilleur” (in Jean-Jacques Rousseau, Du Contrat Social, Paris, Édition Gallimard, 1964 (1762), p. 242).

Referência

2011-05-04


pas de deux, ix. o modo melhor de atingir alguém, ela propôs a solução quase em êxtase, é matando-lhe os sonhos. sem eles deixa de crescer, fica à mercê. ele assentiu, antes de, ups, primir o gatilho. O Marquês.

Referência

2011-05-03


Escala de Groo, ii. Continuar a repetir a pergunta para a qual há apenas respostas erradas ou falsas. Segismundo.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).