<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2013-07-31


pas de deux, xxvi.

quando as coisas esmorecem, caiem.
que acontece?
começa o fim.
não há fim.
não?
criados à semelhança de deus.
isso é o princípio.

já fomos além, aperfeiçoámos a criação.
ultrapassámos o criador?
pode dizer-se que sim.

qual é a velocidade da internet?, a velocidade da libertação.
quero apenas dar sentido à minha vida.
um.
devagar.
um sentido.
pois. um.
a morte é o que dá sentido à vida.

és tu a falar? ou é a ressaca?


o céu é debaixo da terra.
ou em cinza.
ashes to ashes.
funk to funky.

we know major tom’s a junkie.
o isqueiro?
a avalanche está a chegar.
convém ser prático.
está aqui.
o que acontece é apenas o que acontece.
um misterio, não é?
às vezes.


só quero dar um sentido à minha vida.

basta-me um.
ou dois.
sim. ou dois.
ou mais.
não sei.
também não.


está a começar a doer-me a cabeça.
então, nada?
amanhã.
amanhã?
sim.
mas hoje é hoje.
a sério.

está a começar a.
O Marquês.

Referência

2013-07-29


Major Tom. A parafernália de After Earth é a mesma de Space: 1999. Quase quatro décadas como se nada. Foda-se. Segismundo.

Referência

2013-07-26


Usar galochas. No léxico político pátrio, swap significa swamp. Nicky Florentino.

Referência

2013-07-24


pas de deux, xxv.

onde?
ali.

alguns passos depois no sentido apontado, aqui?
aí.
tens a certeza?
tenho.
absoluta?
não há certeza que não seja isso. absoluta.
não vejo.
abre os olhos, mula,
abre os olhos, estão abertos.
que a carroça vai cega.
não estou a ver.

não disseste aqui?
disse.
enganaste-me.


não.
parece.
parece. mas apenas parece.
parece mais do que parece.
estás enganado.
como estás enganada?
exacto.
como o wile e. coyote?
beep, beep.
cabra. confessas?
nego.
negas?
até à morte.


ele empunhou uma pistola de fulminantes. apontada ao teu coração.
that is my least vulnerable spot.
o fim desse filme é triste.
não mais do que tu.
eu?


sim. ainda estás aí, armado em parvo.
disseste aqui.
percebeste?, armado em parvo, armado em sentido duplo.

é porque já não está aí. esteve.
puta.
beep, beep.
pode ser que te fodas por não saber dançar.
O Marquês.

Referência

2013-07-22


Escala de Deckard, ii. Havia uma certeza, vida e morte. Depois passou a haver outra certeza, morte e ressurreição. As certezas nunca são suficientes. Segismundo.

Referência

2013-07-19


Nasce selvagem. Quando o título de uma canção de uma banda chamada delfins funciona como ressonância de actos do senhor presidente da república, deus o tenha e guarde no seu sossego sossegado atlântico, percebe-se que a miséria política que assola a pátria não é e não pode ser pequena. Nicky Florentino.

Referência

2013-07-17


linha de sintra. os joelhos, vêem-se os joelhos sobre o chão frisado do comboio. as meias de rede permitem ver a vermelhidão dos joelhos dela. vê-se também a cabeça a cair e a erguer-se de entre as coxas do homem. este movimento faz lembrar uma cambota, a oscilação sincopada entre os sentidos descendente e ascendente. uma das mãos do homem está sobre a cabeça dela e pressiona-a contra si. um passageiro disfarça, finge que não está a ver o que está a ver. é impossível que ela e ele não percebam que estão a ser vistos. a indiferença de ambos é tão chocante quão o movimento implacável a que a mão do homem a obriga. as mãos dela estão apoiadas nos joelhos dele. parece uma posição de defesa, a submissão combinada com a prevenção. a cena não é repugnante, é estranha, animal e normal. o comboio chia. mal se percebem os movimentos pélvicos dele, nota-se a tensão que tem nas pernas. às vezes levanta a cintura. O Marquês.

Referência

2013-07-15


Página do livro das pedagogias, v. Sabe-se que é uma relação social se o que está em causa é mais o preço do que o custo. Segismundo.

Referência

2013-07-12


O chão que pisas sou eu.* Estavam as crises tão bem postas e com tanta composturazinha e eis que veio o senhor presidente da república com uma conversa a meia haste, tipo nem o pai morre nem a gente almoça, para ajudar à festa. Como sempre, fez muito bem, com cátedra e magistratura. As saudades daquelas férias grandes na vivenda mariani e do espaço aéreo encerrado sobre albufeira, tudo tão normal, na modorra inteira dos dias, um após outro e assim sucessivamente, se noção do mal que dali estava para vir e veio. Nicky Florentino.
__________
* verso da canção "Amor combate" (in Linda Martini, Naked, 2005), da banda Linda Martini.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).