<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2013-01-30


o Emílio da bilheteira da estação de mato miranda. já lhe tinham chamado deliquente mas, és perigoso, desde que, por esquecimento de um passageiro, teve oportunidade de dedicar-se à leitura de l’anti-Œdipe, dispenso a fama, deixou de preocupar-se com as sentenças vagas, basta-me a culpa que tenho, com que tentavam atingi-lo. O Marquês.

Referência

2013-01-28


Pagar liberta. Agora vai-se aos mercados como antes se ia à praça e como nunca se deixou de ir às putas. Ir significa necessidade. Também significa pagar pela satisfação disso, às vezes antes, às vezes com o corpo. Queres fiado?, toma. A mercantilização das relações e dos processos sociais faz valer cada vez mais o que quer que seja por determinado preço. Não por acaso a vida surge enredada entre o verde código verde e os descontos em cartão. A ideologia é a que se vê, sobretudo a que se anda a pagar para ver, pagar liberta. Segismundo.

Referência

2013-01-23


o Anacleto, feitor da quinta dos prazeres. percebo os simpáticos. queixam-se da aspereza da cruz que carregam, não da cruz. percebo-os, sinceramente. porém não tenho de ser simpático com eles, aliviar-lhes o peso ou o modo do peso. O Marquês.

Referência

2013-01-21


When you’ve done a line or two. Ide ver, filisteus, apreciai os capítulo um e capítulo dois de Mickey Mau, o rato que veio da troika. Segismundo.

Referência



Escala de Hobbes, iv. Não há estado que não seja de sítio. Segismundo.

Referência

2013-01-18


Sangalhos, regresso lá, iii. Alguém diz algo a outrem para que, depois, outrem venha dizer a alguém o que alguém lhe disse. Que amostra de inteligência existe neste tipo de política e de transferência? Nicky Florentino.

Referência

2013-01-16


Está a demorar a notícia aqui. O tractor a pedal, como o apodou o Filipe - o Filipe é o praticante número um de masobenfiquismo -, o gajo daquela equipa que marcou oficialmente o terceiro golo no jogo contra o Futebol Clube do Porto no domingo passado - jogo que no campo terminou empatado, dois, dois -, qualquer coisa até dois mil e dezasseis. Oxalá que o mister Jesus o mesmo. Intendente G. Vico da Costa.

Referência



zombies no beato, i. Que um bacamarte vos sulque as entranhas, se o senhor eng.º Carlos Moedas não tem figurinha de hipster mothafucka disfarçado. Pai Miranda.

Referência



o tédio suportado por um sniper. há muito tempo que não havia uma noite destas. julguei que esse tempo não voltaria a apanhar-nos, que o tínhamos conseguido enterrar quando acabámos o muro, quando a última pedra posta nos permitiu a segurança e a confiança para esquecê-lo. julguei que não teríamos de tornar a viver o mesmo medo, o mesmo terror que vivemos durante aqueles dias, todos os dias, até termos chegado aqui. hoje esse medo ressuscitou. voltámos a perder. mas não perdemos para sempre. amanhã iremos. um silvo. O Marquês.

Referência



Abre os olhos, mula, que a carroça vai cega, i. Imposto sobre o rendimento de pessoas singulares, estação dois mil e treze. O assunto motiva pouca conversa. Em termos líquidos - que é o que interessa na óptica do utilizador -, recebe-se mais por mês, recebe-se menos por ano. Pai Miranda.

Referência

2013-01-14


Página do livro das latitudes, xxxii. Quando o que começa não tem princípio, percebe-se que esperar é continuar a esperar. Segismundo.

Referência

2013-01-11


Sobre as possibilidades gerais da república. O que o caso banif ensina por ilustração é que, na pátria ditosa, há quem viva acima das possibilidades e há quem viva em cima das possibilidades. À diferença, para disfarçar, em linguagem de filho da puta, chamam imparidades. Nicky Florentino.

Referência

2013-01-09


pas de deux, xviii. para sempre? para sempre. até que? o choque percorreu-lhe o corpo, preencheu-o, ainda antes de ele ter começado a ouvir a resposta, até já, e a sentir o desfalecimento, não posso esperar tanto, cujo motivo não teve hipótese de perceber, viver na incerteza do tempo desse tanto. O Marquês.

Referência

2013-01-07


Escala de Darwin, iv. Os avisos são um dispositivo deletério. Segismundo.

Referência

2013-01-02


pas de deux, xvii. o que mais desejo?, morrer em paz. não podes. não posso? bem, poder?, podes, mas suspeito que não conseguirás. e porquê não hei-de conseguir? porque para isso e não só precisas de mim. O Marquês.

Referência

2013-01-01


dois mil e treze é uma puta, fecha a boca, mete a língua para dentro, paga antes outra vez, sem desconto em cartão


© Thee Oh Sees, “Lupine dominus”, in Putrifiers II, In the Red Records, 2012.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).