<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2010-07-29


Soltem as iguanas, vii. Há poucos motivos para ter dó das gerações mais novas. Um desses motivos raros é o facto de nunca terem visto aquela cena em que o Sandokan corre e se lança em mortal longo, passando sob o tigre, ao mesmo tempo que com uma faca esventra a fera, que depois tomba e jaz diante de lady Marianna, caída por a montada dela ter-se assustado, tudo isto em italiano. Era assim o amor antes de Jack Bauer. Segismundo.

Referência

2010-07-27


Aquário das nações. Não é problema um canto do mundo - o noroeste - ter-se transformado em aquário. Problema é ou talvez seja, nunca fiando na sentença sem direito a apelo, os resíduos da humanidade que a geopolítica fez ilustrados continuarem a chocar no ecrã e não verem além desse vidro que os reflecte. É isso ou sobretudo isso que fecha o horizonte. A emancipação começa com a hipótese off do teelvisor. Segismundo.

Referência

2010-07-25


Com licença de vocelência, i. É domingo e hora de estar na missa, não é dia nem momento para estar com este tipo de coisas, porém não tomarei muito tempo, pretendo só assentar que atendível é o caralho e as razões dele, que oscilam. Percebe-se, pois, a que nível está e querem que esteja a conversa, depois não se queixem, não digam ai, que dói. Bruce Bílis.

Referência

2010-07-22


Soltem as iguanas, vi. Aprende-se com Jack Bauer. Às amigas um abraço cingido até elas desmaiarem. Aos outros, que obrigados suturaram um rasgo em corpo alheio, uma coronhada na cabeça para derrear e provocar desmaio e depois mais um pontapé no torso para confirmação e descarga de consciência. Segismundo.

Referência

2010-07-20


Quase. Em política, no plano senhorial, «pôr a mão na consciência» é mais ou menos o mesmo que, no plano gentio, «coçar a virilha». O amanho é circunstancial e só para aliviar, não é para suscitar consequências graves, além do conforto que o gesto restitui. Nicky Florentino.

Referência

2010-07-18


dois mil seiscentos e sessenta e seis


Friz Freleng © Speedy Gonzales, 1955.

Referência

2010-07-15


Soltem as iguanas, v. Aprende-se com Jack Bauer. Às vezes olhamos olhos nos olhos quando olhamos para o céu. Deus não mora lá. Segismundo.

Referência

2010-07-13


Regras que nunca te dirão, xvii. Que, como facto ou valor, nem o medo nem o nojo te detenham. Segismundo.

Referência

2010-07-11


Além com zê no fim, ii. Que seja trocado o fulano dos caracóis com unto dos domingos à noitinha na sicnotícias pelo molusco octópede que, lá no aquário dele, escolhe o mexilhão que outros consideram corresponder a um palpite - na verdade, o mexilhão é que se fode. Vertebrado por invertebrado, como se fosse a passagem de analógico para digital. Se necessário, redige-se petição e apresenta-se à assembleia da república porque sim. Chamemos-lhe subsídio para a verdade desportiva ou o caralho que o foda. Olé. Que faz lembrar restaurador olex. Bruce Bílis.

Referência

2010-07-08


Soltem as iguanas, iv. Estás na frente, a tua posição é fraca e antecipada, corresponde à da brigada ligeira. Invejas as hienas. Ainda há muita carne, avisa o dealer, nas trincheiras. Não rias. Segismundo.

Referência

2010-07-06


No one’s fucking to the radio. Cada qual chega morto à vida e é assim que cresce. A vida consente-nos. Somos um ponto de vista, uma opinião, um rodeio, um grânulo na engrenagem da máquina grande. Não demoramos tempo suficiente para chegarmos a ser constantes, um olhar único, um fôlego só. No facebook não é diferente, cada qual não é diferente do cenotáfio próprio em html que sustenta. O facebook é o espelho dos mortos, a falência da frequência modulada. Segismundo.

Referência

2010-07-04


amor amigo sangui


Red © Hyunjoo Song

Referência

2010-07-02


Além com zê no fim, i. Esquece a retórica moral, segue a consequência metafísica do que é empírico. Assenta e repete, às vezes a falta grave compensa. Assenta, não necessitas imaginar. Manda foder a poesia, as orações também. O caso é simples. O jogo está empatado, um a um para ser mais exacto, corre o último minuto do prolongamento, estás a defender, eles estão a atacar, o tempo quase esgotado, vai dar só para mais uma jogada, a jogada derradeira, na qual eles têm três oportunidades de golo seguidas, a primeira, depois a segunda e a terceira, estas duas salvas sobre a linha de baliza, a última das quais com a mão. Não és guarda-redes, o árbitro assinala penalty, és expulso, sais do hectare a chorar, condenado, vergado, sem consciência de que foste tu que permitiste à tua equipa a oportunidade de ultrapassar a eliminatória. Serás tu, a falta que tu cometeste, que os teus hão-de celebrar e os outros hão-de nunca esquecer. Bruce Bílis.

Referência

2010-07-01


Soltem as iguanas, iii. Aprende-se com Jack Bauer. Às vezes um gajo pode não sair morto do encontro com o destino, mas, como a espada sobre Damocles, a morte não deixa de pender sobre ele. Não está morto mas é como se estivesse, já está como há-de ir. O que ele saberia se tivesse lido a sinopse da primeira hora do episódio seguinte. Segismundo.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).