<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2013-02-20


matar por amor, ii. um estrondo súbito interrompeu ainda mais a noite e aumentou o alvoroço que vivia dentro de Clementina. um tiro, pareceu um tiro. no quarto contíguo a irmã de Clementina acordou também. a besta multiplicada bateu em fugida, chocando brutamente com a casa, fazendo vibrar as paredes, as portas, as janelas, o vigamento do telhado, o soalho. talvez tenha sido o Baltazar, murmurou a irmã, devem ter ido outra vez às dele. Baltazar é sargento da guarda nacional republicana, aquartelado na vila, e habita ali desde quando casou com a Alice do Brás das botas, sapateiro já morto, proprietário das terras e casa que ela herdou. Baltazar e Alice criam rezes para vender no mercado e têm duas vacas leiteiras para gasto próprio. que queres dizer com isso?, parecia o demónio lá fora. o demónio, fosse o que fosse, ia já longe, indiciava o abafamento crescente da cadência do trote da besta produzido pela distância. qual demónio?, qual quê?, aquilo era mas é o gado bravio do doutor, que anda para aí às soltas e às vezes, à noite, baixa aqui ao lugar. estragam tudo, é uma desgraça. há uns meses até se afoitaram a ir ao curral do Baltazar, ele estava de serviço, e cobriram umas vitelas que ele tinha lá na engorda. foi um prejuízo doido. teve que abatê-las e ainda teve que pagar para as queimarem. e a Alice, coitada, não ganhou para o susto. de visita à irmã, Clementina, já levantada e à porta do quarto, e que é lá isso do gado do doutor andar à solta?, nada sabia destas novidades. O Marquês.


2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).