<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2011-10-27


seltsamen Reiche der Verwirrung. Domínio estranho da confusão, escreveu Schlegel sobre a arte. É assim também nas artes negras da modernidade, usadas nos gabinetes dos príncipes e dos conselheiros dos príncipes. Um exemplo. Os órgãos de soberania existem para exercer a soberania e apenas sob essa condição são legítimos. Se os órgãos de soberania se revelam incapazes de exercer a soberania, porque ineficazes - portanto falsos no pressuposto pelo qual e para a função para a qual foram constituídos -, podem ser dissolvidos, pois, além da inércia pela qual foram constituídos, nada justifica que subsistam. Se os órgãos de soberania se limitam a decidir e a homologar o que é inevitável, prescinda-se deles, de modo a liquidar a ficção da soberania. Não é possível a emancipação antes da consciência da subjugação. Não é possível a ordem antes da confusão. Nicky Florentino.


Anonymous Cuco de Arribação said...

E então, pá!!!

- Tudo para Bruxelas?
- Tudo para Paris ou Berlim?
- Tudo só para Berlim?
- Tudo para fora, seja lá para aonde for?
- Tudo para nem uma coisa nem outra?

E eu, porra!!! Com tantos buracos abertos com vaselina, óleos xpto reciclados ou não, estão todos desocupados. Dizem que há folgas. Onde? Nos buracos, claro. E quem vão ser agora os tansos que me vão chocar os ovos?? Os cucos que paguem a crise? Está tudo doido ou quê. Tudo é para o caralho, é o que é. Não esse, mas o do mastro da Barca Bela,"que se vai deitar ao mar, Nossa Senhora vai nela e os anjinhos a remar, São Vicente é o piloto e Jesus Cristo o General, que linda bandeira levam, a bandeira de Portugal"
Ai a minha 1ª classe da Primária. Um autêntico curso superior, é o que vos digo.Tudo calminho,ninguém refilava, todos metidos nos seus buracos, ...  


Anonymous Sítio da Catraia said...

Agora mais a sério. Isto, que aqui "escrevinhastes", poderia ser subscrito por Trotsky na parte que se refere ao seu conceito de "quanto menos estado melhor". Sendo que, também, esta ideia, por um lado, não está muito distante do neo-liberalismo, por outro, também se aproxima do conceito de "revolução permanente" de Marx. Posto isto, que venha o diabo e escolha. Saravá!  


Enviar um comentário

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).