<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-7878673483950887896', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2009-05-05


Fate to fatal. Há uma parte demasiado óbvia da dor, a parte exterior, a manifestação, que não interessa. Em rigor, a parte exterior da dor não é dor, é consequência da dor. Ainda assim, mantendo o registo das parcelas, a parte significante da dor é a parte oculta, o corte ou o golpe interior, que dilacera, que rasga, que traça, que fode à bruta ou devagarinho e que o sistema nervoso central processa como cesura, cumprindo o centro como círculo e o círculo como centro. Tão fatal como gritar, para, pelo efeito, emprestar substância e manifesto à dor. Não dói. Não mata. É apenas. Como a verdade. A viúva.


Publicar um comentário

2003/2020 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).