<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-7878673483950887896', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2009-03-24


Passionless, pointless. Começo pelo atropelo, pela consciência dos dois lados do espelho. Depois experimento o algoritmo, a versão beta, a versão definitiva, as combinações até à saturação, sem exclusões. Perfeito, haverá quem diga. Perfeito?, perfeita é a cona. Provavelmente desistirei após alguns ensaios, para, a seguir, tentar afectos e modos mais estranhos, passagens e transferências para o outro lado, não importa qual. Não sofro convicções. Alucino e sofro metamorfoses durante a identidade. Cada vez mais não sou quem sou ou sou quem não sou - sei pouco de ontologia, não consigo explicar melhor. Este facto não me espanta e não me incomoda. Já referi, não tenho a certeza, não sou de ter certezas. Ainda assim aposto que o meu zombie querido era capaz de explicar isto melhor do que eu. Mas ele fodeu-se, agora sou só eu. É estranho mas não é suficiente. Sinto-me compatível e incompatível ao mesmo tempo com o tempo e com o resultado. Faço de conta, a vida obriga-nos muitas vezes a fazer de conta e a fingir que não estamos a fazer de conta. A vida é um teatrinho. Como o penalty de sábado à noite. Eu também vou começar a pôr a mão à frente da boca quando falo, para que não consigam ler-me os lábios. Vou treinar, treinar como se fosse atleta de alta competição. Ouvi dizer que lá para o outono irão realizar-se eleições legislativas e que as listas de candidatura vão necessitar de ser recheadas com mulheres. Estou disponível. Se treinar bem a pôr a mão à frente da boca quando falo, talvez até venha a poder mandar para o caralho outros deputados e para a cona outras deputadas. Eu, deputada da nação. Que é o mesmo que do caralho que foda a nação. Como sou contemplativa mas não de ficar muito quieta e à espera, vou candidatar-me pelo partido epicurista burguês. O epicurismo burguês convém-me, mais do que férias na neve. Se não houver, vou redigir um manifesto adequado. A crise que se foda. Quero ser artista. Mais ainda. Ou talvez não. A viúva.


Publicar um comentário

2003/2020 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).