<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2007-04-24


Avé Maria. A forma mais inescapável e inclemente de fascismo é a maternal. É a mais inescapável porque é doméstica e apenas a orfandade garante esquiva. É a mais inclemente porque é uma cobrança permanente de uma espécie de dano e dívida uterina em relação à qual a criatura devedora não tem qualquer responsabilidade, mas, ainda assim, é devedora e terá que ser pagadora. Nada a fazer, portanto. Posto assim, ninguém julgue que o fascismo aludido se manifesta sob a condição de «sogra». Não, nada disso. O fascismo aludido manifesta-se sob a condição de «mãezinha». Exactamente, mãezinha. As provas são mais do que sobejas. Alguém experimente dizer à mãezinha que desconhece o paradeiro do tupperware que, um dia, com ou sem consentimento expresso dela, utilizou e levou sabe-se lá para que destino - atenção!, é provável que ela saiba e enuncie o destino referido. Qualquer mãezinha que digne a sua condição é um nazi dos tupperwares. Para além disso, alguém experimente surgir diante da mãezinha com a fralda da camisa de fora - a dar ares de jovial, não obstante a idade para ser homenzinho e ter juízo - e, pior, com essa mesma camisa, que tanto tempo consumiu a ser passajada, engelhada. Pois é, uma mãezinha é um Benito ou um Adolf das camisas aprumadas, sem vinco. Pelo que, comparado com qualquer mãezinha nestas circunstâncias, reconheça-se, Salazar mais não foi do que um corneto de morango. Segismundo.


Enviar um comentário

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).