<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-7878673483950887896', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2003-08-08


"Ai!, não sejas bruto", afastou-o, em imperativo, ela. As palavras foram poucas, mas tonificaram-lhe, a ele, em reforço, a vontade de a morder. Mais. E, ordenado pela frémita vontade, não se fez rogado. Agarrou-lhe os cabelos, puxou-os, obrigando a cabeça dela a inclinar-se para o lado de que estava mais afastado, e cravou-lhe os incisivos na carne do ombro. Ela gritou, ela chorou, ela implorou para que ele estancasse o acto, mas tudo isso apenas lhe atiçou o gozo e o obrigou ainda mais ao sangue dela. Rasgou-a. Ele não sabe se foram as lágrimas ou o sangue, mas vê-la assim, sofrida, felicitou-o. Percebeu-se-lhe a satisfação estampada no rosto depois do esgar. O Marquês.


Enviar um comentário

2003/2018 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).