<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-5653591469084247704', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2010-02-03


a Natércia da retrosaria. ela regressou passados dois ou três minutos, não mais. havia enxugado as lágrimas e parecia disposta a relevar o comportamento dele. o matrimónio era um sacramento, resolúvel apenas pela morte. podia ser anulado, mas naquele caso não havia motivo abrigado pelos preceitos do direito canónico que permitisse admitir tal hipótese. tão pouco essa eventualidade surgiu alguma vez entre os raciocínios dela. portanto haveria de padecer até que a morte a apartasse dele, conforme ditado pelo arbítrio divino e pelos votos trocados no altar. deves-me respeito, o respeito que, por natureza, as mulheres devem aos homens. para além disso não esqueças que, para o bem e para o mal, casámos em comunhão geral de bens. ela passou as mãos pelo avental e assentou-as na bancada, virada de costas para ele. no rosto dela havia indícios de desistência, não por conformar-se com a situação, mas por admitir que qualquer alternativa seria pior. ela seria falada e apontada como exemplo de mulher fraca, incapaz de suportar o marido e o feitio dele. eram sabidos os problemas dela com o asseio, os miúdos andavam frequentemente encardidos, iam à escola e à catequese assim, e os seus dotes de cozinheira não eram celebrados. a mãe dela até folgou quando o forasteiro se interessou pela filha, tendo-lhe dado licença para que, antes que ele se negasse, algum acidente e a vergonha os obrigasse a juntar. penitenciou-se perante deus por incentivar o deboche da filha, mas, entendia a velha, fazia-o por intenção maior e haveria o altíssimo de, na misericórdia dele sem tamanho, concordar com ela. pior do que ela não ter jeito para cozinhar era ela com aquela idade continuar alheia a homem e, por consequência, nela ninguém pretender verter a semente da espécie. a mãe desejava-a combinada com um homem, qualquer que fosse, para que ela arrumasse a vida. apesar de tarde para a vontade da mãe, o casamento consumou-se e, conforme referido, ela sentiu-se casada e junto dele sob a condição de apenas a morte ser o apartamento de ambos. ele passou um pedaço de pão na borda do prato da sopa. ela virou-se subitamente, cravou o garfo da salada na cara dele, atingindo-lhe o nariz e um dos olhos. a faca de trinchar a carne afundou-a nas costas dele. O Marquês.


2003/2022 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).