<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-5653591469084247704', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2009-03-04


Derrame sobreontológico. Procuram-se sentidos. Há quem os procure no princípio, há quem os procure no fim. Esta demanda não deixa de ser um exercício irónico, no motivo e no alcance. Porque procura-se o que não se perdeu justamente porque não se perdeu o que se procura. A propósito, há aproximadamente dez anos, Sloterdijk aludiu numa conferência célebre ao Menschenpark. É o que habitamos quase absolutamente. Quase absolutamente porque a intimidade permanece reduto, o ponto de tensão entre a pulsão e a inibição. Um problema de sempre. Talvez seja uma invenção, não se sabe. O que se sabe mais ou menos é que tudo o que é interior desvanece-se no exterior, do mesmo modo que tudo o que é exterior desvanece-se no interior. Portanto não há saída, talvez até não haja desvanecimento. Parece que a tragédia não está a acontecer num palco, acontece-nos no corpo, precisamente na carne de cada um de nós. Às vezes o que parece é, sem se saber porquê. Baú (do Segismundo).


Enviar um comentário

2003/2022 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).