<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttps://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-5653591469084247704', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2007-09-12


Do outro lado da rua. A partir das dezoito horas, uma corja de putos começa a gritar golo. A cadência é de dois ou três golos e consequentes gritos agudos e em coro por cada minuto. O que é incomodativo. Quando o incómodo é maior, ele assoma à janela e observa os putos. Por instantes, ao constatar o gradeamento sobre o muro que encarcera aquelas feras, a sensação de incómodo é substituída por uma sensação de segurança. Durante esse lapso breve ele chega mesmo a admitir a hipótese da existência de deus. Mas os putos insistem nos golos e na estridência e o horizonte divino admitido desvanece-se. Do que resulta que deus continua a não ser visto ali. Invisibilidade agravada pelas circunstâncias após as dezoito horas. Segimundo.


Enviar um comentário

2003/2022 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).