<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5515885\x26blogName\x3dAlbergue+dos+danados\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://alberguedosdanados.blogspot.com/\x26vt\x3d-3105585526933720520', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Albergue dos danados

Blog de maus e mal-dizer 

2010-01-29


melancolia zündapp

# xxxix
. convocando a memória, percebe-se que o riso fortalece até ao momento em que o que tem que ser tem muita força. a condição humana faz-nos e faz cada um de nós ser entre chaplin e darwin, a farsa e a evolução, a paródia e a peripécia. Edgar da Virgínia.

Referência

2010-01-28


Página do livro dos googlemas. Pois, a venda de gansos e patos em almeirim por o senhor Joaquim Fitas não é aqui. Segismundo.

Referência



Escala de Deckard, i. Apenas uma oração tem justificação, a oração de cada um às mãos próprias. Segismundo.

Referência

2010-01-27


o Horácio da agência de viagens. disse com resignação, a violência é um factor constitutivo da vida. mas só depois de muitos anos de missa, de ideologias arrumadas e escatológicas, de figurinhas da disney e de reality shows é que descobrimos que o osso esteve sempre disposto à fractura. é quando já é tarde para a emancipação pela emigração e percebemos que o lugar onde estamos é simultaneamente a partida e o destino da nossa vida. todas as dores da nossa vida concentram-se aí e nesse momento preciso. fomos tristes toda a vida, no mesmo lugar, e a única alegria que tivemos desvanece-se subitamente, mostrando-nos que afinal a tristeza foi sempre o nosso sítio. escondemos e omitimos a vioência para sermos felizes e no fim, exactamente no fim, percebemos que tudo foi fingimento e ali, de onde nunca saímos. é triste, não é? O Marquês.

Referência

2010-01-26


O défice público. Em janeiro de dois mil e nove foi estimado em três vírgula nove porcento. Em janeiro de dois mil e dez foi assente em nove vírgula três porcento. Tantas e tantos economistas, tantas sumidades lá - o senhor eng.º José Pinto de Sousa até se proclamou o Tarzan do défice - e nas assessorias e no banco de portugal, tudo senhoras e senhores com remuneração de encher cartão e, vai-se a ver, trocam com tanta facilidade o algarismo das unidades pelo algarismo das décimas e vice-versa e, no fim de contas, escassa fazenda, no pasa nada. Pátria ditosa, a que suporta tantos enganos e vai formosa e não segura. Nicky Florentino.

Referência



As alfaias não estão no descanso, o matadouro aceita ajudantes, ii. A vontade de deus é o poder de compra dos pobres, é a divisa corrente da miséria. Serve para quase tudo excepto para usar em época de saldos ou para aproveitar em caso de liquidação total. Apesar do ambiente de confraria e sindicato - que vale a sugestão de saque -, temos pena, agora são tempos de cash only. É o que vale. Segismundo.

Referência

2010-01-25


Pelo avesso dos pam, iii. Não há promessa de felicidade maior do que a impaciência. Elaboro. A paciência é um modo de extracto do princípio da realidade. A agência é um modo de operação do princípio do prazer. Apenas a impaciência permite resolver a culpa na própria culpa, sem atender à condenação ou à contrição. Desde Kierkegaard que se fodam todas as esperanças. Segismundo.

Referência

2010-01-22


o erro e a pedra

# iii
. a minha mãe sabe tudo o que há a saber sobre mim, sabe que escondo-lhe tudo, escrito num epitáfio. Edgar da Virgínia.

Referência

2010-01-21


Como a traição. Também a honra é uma questão de datas, mais do que de tempo. Segismundo.

Referência

2010-01-20


está como as minhas magnólias. a calçada do passeio estava molhada, o puto com um par de patins em linha calçado avançou lentamente rente aos edifícios. levava preso sob o sovado esquerdo um papelão quase do tamanho dele, dobrado e seguro também pela mão, o que, a par do piso escorregadio, dificultava-lhe o avanço. o puto passou por dois velhos que estavam diante de uma passadeira, passou com cuidado e sorriu. embora parecesse consciente da figura patética dele, a vontade de experimentar e exibir o produto natalício, os patins, era mais forte. virando-se para trás, os velhos largaram um rol de comentários que tinham como motivo e alvo o caralho do cachopo, comentários que foram em crescendo, devia malhar com os cornos no chão, para aprender como é que é a vida. eram comentários de impotência, olha-me bem para aquela merda, sobretudo de impotência, uma tristeza e depois não prestam para trabalhar, mais de impotência do que de incompreensão. o puto prosseguiu com cuidado, amparando-se com a mão livre, a direita, contra a parede, e os velhos continuaram o lamento e a atenção, olha, olha, ainda vai mesmo bater com os cornos no chão. entretanto, depois atravessar a passadeira, passou por eles uma mulher a falar ao telemóvel, referindo-se ao jardim dela. uma puta, disse um dos velhos para o outro, ambos ainda estancados no passeio. o semáforo voltara a ficar vermelho para os peões. o puto já não estava no horizonte, dobrara na esquina mais próxima. O Marquês.

Referência

2010-01-19


Pelo avesso dos pam, ii. Compreende-se o conforto de quem é normal. A normalidade é uma modalidade de ansiolítico. Conforma por dentro e por fora, controla a ansiedade, sem afectar ou irritar as instituições. Socialmente os normais são os felizes e os que podem ser isso, sobretudo por serem institucionalizados, bem - não se deve evitar o advérbio - institucionalizados. Para além da hipocrisia social, os outros são também felizes, mas de modo esquisito ou perigoso. Os outros dos outros estranham e assustam-se com facilidade por causa disso. São normais, é o que é. Segismundo.

Referência

2010-01-18


Página do livro das disciplinas, i. A história é uma secção da zoologia. A parte melhor é a do osso. Segismundo.

Referência

2010-01-16


The dada polka. Coisas sérias?, o casamento, pois, então. Não o casamento armadura em opções de gesso até titânio, sim o casamento de todos os dias, carnívoro e além do prato de sopa, assente na volubilidade das afeições e estações menstruais, o casamento mole, que dura enquanto, até que, apesar da doença, apesar da pobreza, apesar da ida às putas, apesar dos gritos e das ressacas, apesar do soco de três em três anos porque a vida é mesmo assim, amor, filhos e filhoses, uma mantinha no inverno, dies iræ e um cacetada de vez em quando para renovação dos votos esponsais, simplesmente apesar, apesar dos orgamos também. C’est la vie. Na verdade, verdade, verdadinha, o casamento não é coisa que. Quaisquer casamentos, mesmo aqueles de que agora se fala tanto, não são. O que é diferente, muito diferente, de se ser contra o casamento. Quem quiser que se case, à vontade. O casamento é como uma doença, contrai-se, embora não seja apenas como uma doença, porque contrai-se voluntariamente. Não vem daí mal ao mundo e inclui felicidade. É um bocadinho como aquele divertimento dos toques na bola, um, dois, três, caralho, fugiu, um, dois, três outra vez, quatro, cinco, seis, sete, foda-se, novamente desde o princípio. Amo-te tanto, mais do que tu a mim, é exactamente assim, foi sempre assim. O casamento, a eternidade a dois, é que é já, é mesmo já a seguir. Até porque quem diz casamento diz divórcio, diz viuvez, diz até que a paciência cesse ou a morte aparte, saudinha e código civil é que a gente precisa. Aliás, vale deus nosso senhor e o vermute assim na terra como no céu, vale nossa senhora agora e na hora da nossa morte, as tentações continuam a rondar. É da natureza das tentações rondarem. A traição é um negócio pequeno e asseado, sem o assente aí, é para levar fiado, que é o casamento, dia de festa, fotografias e vídeo. Vídeo não, dvd, que as coisas evoluíram e o tempo da memória posta em papel selado de vinte e cinco linhas para valer já lá vai. O que continua a ser o mesmo é a proporção e a relação das coisas. Uma facadinha não é uma facada na aliança, as putas são elas, os cabrões são os outros. Se em tudo isto há uma inclinação sexual qualquer?, há com certeza, pouco importa qual. Quem prefere rodeos pode muito bem ir à tourada, pois pode, porém não é a mesma coisa. É por isso que, ouve-se a reacção a ganir, casar sem olhar a quem não deve ser privilégio, deve ser direito, como sucede com qualquer contrato firmado pela e para a carne. Segismundo.

Referência



Apple for a brain. Já menos de meia esperança. Quase dois vintes de deus nunca visto, nunca assistido pela alma ou pelo corpo. A carne é cega, esta é a lição. Segismundo.

Referência

2010-01-15


Cruz e ordem. Segundo doutrina celebrada e assente nos anais da coudelaria nacional há moeda boa, há moeda má e, atendendo à cotação das divisas, há que escolher a montada. O raciocínio não é ousado mas também não suscita estupor. Agora, na roleta das honras públicas, saiu medalha para assentar sobre o senhor dr. Pedro Santana Lopes, não por conta de ele ser quem é, por conta de um consulado que lhe calhou na barraca das rifas da república - essa meretriz quase centenária. O senhor presidente da república patrocina a amnistia e a cerimónia. Cristo não morreu em vão. Nicky Florentino.

Referência



As alfaias não estão no descanso, o matadouro aceita ajudantes, i. Deus é uma fímbria de nada, nada mesmo, a que alguém habitou-se a chamar um nome e a ver aí uma potência extraordinária e luminosa. Tanto por e para nada é o resultado do câmbio dos fracos. De espírito também. Segismundo.

Referência



melancolia zündapp

# xxxviii
. entre os órgãos sujos, o coração é o que está mais próximo da boca. o que, se for necessário interromper o silêncio, é um bom motivo para falar-se pouco. Edgar da Virgínia.

Referência

2010-01-14


Pelo avesso dos pam, i. A misantropia é um tipo estranho de orientação sexual. Mais concretamente é uma forma de bissexualidade solipsista. Não é irritação, é tédio que, pela lassidão, acolhe homens e mulheres de modo igual. Pelo que o que mais vale a cada uma e um é a solidão que podem e merecem. Chamar-lhe loucura é mais instância do que estância. No fundo é apenas humanidade. Segismundo.

Referência

2010-01-13


opqrs. padeço demasiado a condição irónica pela qual sou para poder ser optimista, pessimista, quacre ou realista. suicidou-se depois. O Marquês.

Referência

2010-01-12


Viveiro e a persistência da memória. É devido respeito aos mortos. Em última instância por não poderem defender-se. As regras estúpidas abundam. Os mortos estão mortos por algum motivo. O respeito é um assunto de e entre vivos, para vivos. Quem não se conforma com este facto tem solução fácil e simples, matar-se. Há-de haver memória disso. Bruce Bílis.

Referência

2010-01-11


Isto é tudo nosso. Quem queira discernir o mistério de qualquer governo tem apenas que decifrar os termos da lottizzazione, o nome sem eufemismo da causa do consenso. Para alguns chega sempre algo. Esses, os satisfeitos, são os que mandam ou os que se satisfazem. Nicky Florentino.

Referência

2010-01-08


o erro e a pedra

# ii
. humano que não erra é um erro. Edgar da Virgínia.

Referência

2010-01-07


Escala de Ripley, iv. A ressurreição de alguém como máquina é o lado diferido do estranho. Segismundo.

Referência

2010-01-06


Set guitars to kill. Percebe-se a preocupação de Bono Vox em relação ao tráfico gratuito de música e canções. Antigamente é que era, o negócio era negócio, os royalties eram royalties, a vida era boa, casa sempre cheia, uma alegria. Pois era. Não obstante não consigo comover-me com tal preocupação. Sou do tempo da cassete mas já não uso walkman. Bruce Bílis.

Referência



a saga de Hermes Taborda. como todas as histórias importantes, esta é curta. o dono daquelas terras regressou e, conforme prerrogativa consuetudinária e as regras escritas em papel na capital, reclamou o direito de posse sobre aquele chão. ouvindo-o, Hermes, ó aí, bonitos, estancou a junta que arrastava o arado. Eva chegou-se ainda mais, pela frente dos semoventes. havia sido atraída pelo barrulho do carro durante a aproximação, vinha a acabar de enxugar as mãos no avental. nada disse. foi Hermes quem falou, daqui só saímos mortos, pela família, ele, a mulher e as duas filhas. não admitia a evicção ou a condição de inquilino. por determinação do proprietário, Eva, Madalena e Alice, estas as duas filhas, foram sepultadas ali na manhã seguinte. a mais nova, Alice, ainda respirava e tinha os olhos abertos quando a terra começou a cair sobre o corpo dela. Hermes foi enterrado depois, também ali, vivo, para que nele demorasse a dúvida sobre se estaria a cumprir-se a sentença que havia afirmado ou se ter-se-ia enganado na asserção da véspera. O Marquês.

Referência

2010-01-05


Devir e apocalipse. Porque são estúpidos mas não apenas estúpidos, os gentios são maioritariamente pela democracia. A democracia é que não é por eles e, por efeito da alienação ou da ilusão, a aprendizagem desse facto é lenta. Tão lenta que cada vez mais a demora daí decorrente é condição tanto da subsistência quanto da hipótese democrática. Nicky Florentino.

Referência

2010-01-04


Página do livro das latitudes, xxiv. O altruísmo é um modo de egoísmo. Ninguém ajuda outrem se a ajuda não render gozo ou prazer ao ajudante. É a sublimação do egoísmo pelo oxímoro em acto. O oxímoro, o oxímoro, como o horror de Kurtz. Segismundo.

Referência

2010-01-01


melancolia zündapp

# xxxvii
. após conquistas, perdas, resta o refúgio, o gueto cardíaco. Edgar da Virgínia.

Referência



planeta toblerone


© Billy Wilder, Some Like it Hot, 1959.

Referência

2003/2017 - danados (personagens compostas e sofridas por © Sérgio Faria).